Artista japonês retrata em sua obra a beleza, o caos e o renascimento do Japão pelos desastres naturais

O terremoto de 2011 Tōhoku e o tsunami no Japão, foram os eventos ambientais mais devastadores do nosso tempo, com seu impacto global ondulando em todo o mundo nas próximas gerações.

Mas, tal como afirmado na terceira lei de Newton – para cada ação, há uma reação igual e oposta – assim também, o povo do Japão reagiu à magnitude da destruição em um esforço para reconstruir seu país de novo, como retratado nesta nova obra de arte impressionante.

Chamado de Renascimento por Manabu Ikeda, o trabalho começou em julho de 2013 e o artista chegou a trabalhar por 10 horas em um dia, dentro de um estúdio do porão no museu de arte de Chazen em Madison, Wisconsin, e apenas concluiu o trabalho no final de novembro de 2016.

Em seu núcleo, a pintura mostra uma árvore que se levanta dos escombros do tsunami, com as ondas enormes se aproximando, mas uma inspeção mais próxima revela milhares de detalhes minúsculos, desde histórias individuais dos povos, das plantas, e dos animais enquanto lutam para a sobrevivência e tentam retomar seu mundo a uma aparência de ordem.

Ikeda diz que em seu trabalho procura replicar o belo caos da vida, e raramente se ajusta a uma simples narrativa linear. Em vez disso, tudo flui e interage de formas desconhecidas e inesperadas, assim como foi o processo de criação de sua obra.

O tempo que Ikeda passou em Madison não estava previsto em sua agenda, o artista deslocou um ombro em um acidente de esqui, o que tornou sua mão dominante temporariamente inútil.

Incapaz de parar o trabalho por muito tempo, Ikeda começou a praticar com a outra mão, depois de 3-4 desenhos de prática, continuou o trabalho de sua obra e a imagem abaixo é o resultado de seu primeiro desenho com a mão que não dominava, mostrando que assim como o título de sua pintura, o artista foi capaz de renascer em sua arte.

O artista ainda conta que seu objetivo é expressar fielmente sua visão do mundo em sua arte, e que o pincel e a tinta são as melhores ferramentas para fazer isso.

 

Comentários

Share via