Yakuza tem briga e nova facção poderosa é criada

Um dos mais conhecidos grupos de crimes organizados do mundo, a Yakuza ainda tem presença no Japão. No mês de agosto de 2015 o maior grupo criminoso do Japão se dividiu, criando outra facção poderosa.

YAKUZA

Alguns membros da Yamaguchi-gumi deixaram o grupo principal para ir a Hyogo, segundo os jornais locais. Um dos integrantes chegou a declarar que alguns deles não estavam satisfeitos em como a Yakuza estava coletando dinheiro.

A polícia afirmou estar em alerta para possíveis casos envolvendo violência. A organização Yamaguchi-gumi (Yakuza) é a maior organização mafiosa do Japão, com cerca de 23,000 pessoas.

Gangues da Yakuza tem feito parte da sociedade a muito tempo, acredita-se que mundialmente são 60,000 afiliados. O nome do grupo novo chama-se Kobe Yamaguchi-gumi e não terá um chefe, apenas o representante Yoshinori Oda, 50 anos, antigo mafioso.

O assunto gera polêmica no Japão, pois as gangues não são ilegais, apesar de todos saberem que os ganhos se dão através de apostas, prostituição, tráfico de drogas e cyber-hacking.

yakuza entretenimento adulto
Créditos: Daily Mail

O mundo criminoso do Japão possui 21 organizações espalhadas e a migração de alguns integrantes para grupos próprios sempre rendeu consequências ruins, como assassinatos, ataques com bomba e tiroteios por disputas internas.

Conhecendo melhor a Yakuza

A Yakuza faz parte da sociedade japonesa e são conhecidos no Japão por tempos, no começo, nos anos 80 eram tradicionalmente mercantes de rua e apostadores, depois, começaram a formar alianças se tornando o grupo forte.

Depois da Segunda Guerra Mundial, a Yakuza ganhou mais poder atuando no mercado negro, apostas e entretenimento. Lançou e empresariou cantores ao estrelato e evoluiu para o estelionato, extorsão, chantagem e fraude, posteriormente se envolveram com a política.

Por não serem considerado ilegais, são monitorados pela polícia japonesa e os três grupos mais poderosos são:

-Yamaguchi-gumi (23,400 membros)
-Inegawa-kai (6,600 membros)
-Sumiyoshi-kai (8,500 membros)

Muitas de suas atividades são consideradas ilegais, mas eles também são donos de empresas legais, possuem escritórios, cartões corporativos e até revista.

Líder YAKUZA

Um dos líderes da terceira geração chegou a falar para os membros arranjarem um trabalho convencional e se auto declaram como grupos humanitários que mantêm a ordem.

Segundo oficial da agência de inteligência de segurança pública, a Yakuza é composta em sua maioria por pessoas marginalizadas pela sociedade, estrangeiros com descendência japonesa que trabalharam em regime escravo e rejeitados socialmente.

Quando pensamos na Yakuza, muita gente faz duas associações automáticas, a da tatuagem e o dedo mindinho decepado.

Tatuagem na Yakuza

A geração mais antiga gostava muito da tatuagem por representar comprometimento com a organização, mas essa prática caiu muito, pois a tatuagem estava sendo usada pela polícia para identificar membros.

integrante da YAKUZA tatuado
Créditos: Daily Mail

Apesar da tatuagem ter diminuído muitos membros ainda tatuam os emblemas de seus grupos, como forma de demonstrar orgulho.

Dedos decepados

mão YAKUZA
Créditos: Daily Mail

Existem duas situações em que uma pessoa pode ter o dedinho decepado na Yakuza, em oferta como pedido de desculpas ou para salvar a vida de um companheiro.

Poder e escândalos

O poder da Yakuza é grande no Japão, recentemente a notícia de que o grupo controlava uma banda de garotas do estilo fofo saiu em diversas revistas japonesas, inclusive, é de conhecimento da polícia o controle de grupos de entretenimento. E já afirmaram que farão de tudo para cortar esse laço.

A Yakuza ainda foi envolvida em polêmica de ter financiado a indústria nuclear com seus trabalhadores, além de estarem envolvidos no atraso da descontaminação de Fukushima.

O partido político liberal democrático recebeu financiamento da Yakuza, segundo trecho de um livro sobre a organização mafiosa. O ministro da educação foi acusado de ter recebido dinheiro também.

Desde os conflitos de separação do grupo, rumores sobre o que acontecerá pairam no ar, o medo de conflitos existe, mas ainda é pequeno, pois os chefes dos grupos podem ser penalizados por suas ações.

ex líder YAKUZA

Em 2012, Goto Tamadasa pagou U$1,4 milhões para a família de um agente morto por um dos seus homens, mas nunca foi condenado a prisão.

Comentários

Share via