As outras coisas que mais surpreendem o brasileiro que mora no Japão pela primeira vez

Dentre as coisas que surpreendem o brasileiro no Japão, assim como mencionei no texto anterior: As coisas que mais surpreendem o brasileiro ao morar no Japão pela primeira vez, há ainda muitas outras situações que nos deixam curiosos. Muitas mesmo!

Mesmo morando no país por um período considerável, muitas circunstâncias vão surgindo ao longo do tempo, que só percebe quem está no dia a dia, digamos, no caminho da roça. Veja só.

Andar pela rua como quiser

Andar-como-quiser

Dois fatos foram surpreendentes nesse episódio (e inesquecíveis).

Uma vez eu estava voltando de bicicleta com um amigo. Já era tarde, por volta das 23 horas, quando passamos em frente a uma loja de conveniência, numa rua – tipicamente – escura e vazia.

Dali a pouco, um carro estacionou ali e desceu um japonês de cabelo num estilo black power. Ele estava de pijama e pantufas!

Mas não só isso, ele deixou o carro ligado e de portas abertas – uma vez que não havia nenhum outro carro na garagem espaçosa – entrou na loja, comprou, subiu no carro e foi embora, como se nada tivesse acontecido!

Dentro do trem ou metro

Trem-e-metro

Muitos já devem ter visto vídeos na internet sobre os metros e trens do Japão, com a curiosidade de saber como as pessoas se comportam. É seguro dizer que: “sim!”, as pessoas são verdadeiramente educadas! Mas nem tudo é perfeito.

Quando o trem (vagões) está cheio e chega na estação, as pessoas que estão esperando na plataforma abrem “alas” para os que estão dentro poderem sair.

Quem está dentro do vagão perto da porta, mas não vai descer, este desce para os que estão atrás saírem. E não só isso. Como já tem uma galera na parte de fora, este que desceu, vai para o fundo da fila, como se fosse pegar o trem de novo! Mas claro, quando dá para ficar ali na frente, ele fica.

Uma coisa que é muito desagradável, mas isso certamente deve ter em todos os países, são aqueles que não dão lugar para os idosos, gestantes e outros se sentarem. No Brasil, as pessoas costumam ser mais gentis e sempre que possível, oferecem lugar. Mas aqui, isso não acontece.

Do que presenciei, os estrangeiros são mais gentis, como os indianos, brasileiros, americanos, alemães etc. Estes sempre oferecem o lugar. (É possível aproximar a nacionalidade deles pela fisionomia e pela língua)

Mas, pelo que entendemos da sociedade japonesa, essa atitude não se trata de falta de educação, mas comportamento cultural!

Manner mode e fotografia

manner-mode

Falando em trem e metro, diferente do Brasil, não é agradável falar no celular quando está dentro do vagão. Isso incomoda os outros. Há até uma placa informando para deixar o celular no “manner mode“, o modo que silencia os toques.

Outra coisa que não é permitido é tirar fotos com o celular – às escondidas. É que, como em qualquer país, há muitos homens tarados que se aproveitam de determinadas situações.

Além disso, todos os celulares do Japão fazem barulho ao tirar fotos, mesmo quando desativado o som, justamente para evitar esses incidentes. Se o indivíduo for pego, certamente vai ser processado e seja lá o que o juiz disser.

Há também vagões separados somente para as mulheres. O uso é exclusivo nas horas de pico, como pela manhã e final da tarde, mas após os horários determinados, o uso é livre.

Deixar do lado de fora

Só digo que os pneus (novinhos) de neve do meu carro e as calotas, deixo do lado de fora de casa. Além de alguns bastões de estender roupas, prendedores, tênis e, por fim, a janela em geral aberta.

Se houver alguém mal intencionado, certamente irá roubar de maneira muito simples: basta pular uma grade de um metro ou apenas esticar o braço e levar tudo embora. E se quiser entrar em casa quando não tiver ninguém e tomar um suco, não irá conseguir, porque não temos suco em casa.

Felizmente nada disso aconteceu (por enquanto).

Vestimenta típica

Vestimenta-típica

Olhando de longe dois indivíduos parados na calçada, com uma camisa social branca, calça social preta e uma mala pendurada nas costas, não se engane, não são os Mórmons cumprindo sua missão (podem até ser). Mas geralmente são os japoneses que trabalham por ali ou que estão procurando emprego.

Há uma etiqueta japonesa no meio profissional que deve-se trabalhar com uma camisa branca e uma calça social preta, e um paletó preto se estiver frio. No trem, na rua, no konbini, em qualquer lugar é possível encontrar inúmeros trabalhadores vestidos dessa maneira.

A princípio, pensei que era porque eles trabalhavam no mesmo lugar. Mas quando vi muita gente, mas muita gente mesmo vestida assim, saquei que é cultural. Já fui atendido em lojas por pessoas vestidas assim e também há lojas que vendem especificamente essas roupas.

Com as mulheres a vestimenta é também padronizada: blazer preto (cinza), camisa branca e saia até o joelho e da mesma cor do blazer.

Claro que não são todos os lugares que seguem esse padrão.

Enfim. Além de tudo isso, o Japão tem muita coisa por aí. E em breve, vamos mostrar por aqui!

Doumo, arigatougozaimashita (Muito obrigado!)

Comentários

Share via