Saiba mais sobre os Konbinis, paixão de japoneses e estrangeiros

Não importa se não deu tempo para tomar o café da manhã, está sem comida na geladeira, esqueceu uma gravata ou foi trabalhar com um par de meia diferente. As lojas de conveniência japonesa podem te salvar de uma fria.

seven
Seven Eleven, a maior rede de konbinis no Japão

Amadas por todos, essas lojas, genericamente chamadas de konbini, são indispensáveis para o cotidiano de qualquer um que mora no Japão. Se você quer um café, lá tem, quer uma marmita para o almoço, lá tem, esqueceu de passar o desodorante, lá tem, a cueca borrou, lá tem, rolou aquela dor de barriga, lá é a sua salvação. Sim, lá tem de tudo e mais um pouco.

Esse é o ponto crucial e impressionante dessas lojas: é possível encontrar tudo o que você precisa nos horários mais remotos do seu dia. Obviamente, por isso se chama loja de “conveniência” (rs).

Os preços nessas lojas, ao contrário do Brasil (que nem são tão populares) ou nos EUA, não são abusivos. Claro que existe uma pequena alta, mas não se trata de um valor incompatível ao do supermercado, por exemplo. Talvez porque há diversas lojas espalhadas por todo Japão e a concorrência é acirrada.

Prateleira repleta de onigiris e outras guloseimas nipônicas
Prateleira repleta de onigiris e outras guloseimas nipônicas

O que o pessoal tem o costume de fazer é estacionar o carro ali e comer um obentou (marmita) no carro mesmo. Eles esquentam ali na loja e vão comer.

Nas cidades grandes, muitas lojas oferecem Wi-Fi grátis, portanto, estrangeiros, inclusive brasileiros, ficam ali, se divertindo e se localizando em seus GPSs.

Serve também como referência para ponto de encontros ou, caso haja lixo no carro, há cestas ali para fazer o descarte (lembrando que deve ser devidamente separado entre queimável e reciclável).

Sexta-feira à noite, em algumas lojas, juntam-se grupos de amigos que ficam ali na garagem mesmo, tomando um suco, um café e papeando até altas horas. (Bebida alcoólica não é permitido tomar em ambientes públicos, portanto, a maioria não bebe ali)

Os brasileiros que moraram no Japão e já voltaram, quase unanimemente dirão:

“sinto falta de konbini”.

E somente uma observação. No Brasil, quando o termo é mencionado, muitos escrevem “combini”. Mas, não se engane. Por ser um termo estrangeiro, o correto é escrever “konbini”.

De todo modo. Caso você venha visitar ou morar no país, entre e maravilhe-se nessas lojas! Não vai se arrepender.

Comentários

Share via