Chá verde: será esse o segredo do físico esbelto e da longevidade dos japoneses?

Muitos estudos atribuem ao grande consumo de chá verde, o segredo do físico esbelto e da longevidade dos japoneses.

Tão consumido no Japão, quanto consumimos o nosso cafezinho aqui no Brasil, o chá verde ultrapassa a fronteira do hábito de consumo diário e transcende em espiritualidade.

Porém, para muitos estudiosos ele é também o segredo da vida longa e saudável da população japonesa.

Conheça um pouco da história, da cultura e das várias propriedades medicinais dessa poderosa planta, muito consumida entre os japoneses e outros povos asiáticos (curiosamente magros, também).

rsz_green_tea

Origem e crenças

Originário da China e introduzido no japão no século IX, o chá verde enraizou-se na cultura japonesa, ganhou fama por suas inúmeras propriedades medicinais e transcendeu seu consumo aos níveis da espiritualidade.

Durante sua longa história no Japão, o chá verde ganhou fama de elixir da juventude eterna, além de ser reverenciado e tratado quase como um objeto de veneração, fazendo parte de cerimônias budistas, que evoluíram para a tradicional “Cerimônia do Chá”.

Há um velho provérbio no Japão que diz “Chá pela manhã traz boa fortuna”, o que reforça a crença dos japoneses de que uma xícara de chá verde pala manhã, entre outras vantagens, afasta o infortúnio.

Variedades do chá verde

Dependendo de como as folhas foram cultivadas, de sua posição na planta, do tempo de exposição ao vapor, de como foram secas e processadas, o chá verde recebe, entre outras, as seguintes principais classificações:

  • Sencha;
  • Matcha;
  • Gyokuro ;
  • Kukicha.

O Sencha é produzido somente por folhas mais jovens, que são cozidas e depois amassadas à medida em que vão secando. Esse método inventado no século XVIII desde então tornou o Sencha o chá verde mais cultivado e consumido no Japão.

rsz_green_tea2-1

O chá verde no cotidiano

O chá verde é consumido nos lares japoneses, principalmente, na parte da manhã, na pausa da tarde e servido como demonstração de hospitalidade às visitas.

No entanto, a maioria dos japoneses também consomem o chá ao ar livre, em piqueniques e durante os intervalos do trabalho, quando o transporta em garrafas térmicas.

Nos restaurantes, o chá verde é servido gratuitamente e quantas vezes o cliente pedir. Sendo realmente parte essencial de qualquer refeição.

O sabor suavemente amargo e refrescante do chá verde ajuda a refrescar a boca após as refeições, pois possui também propriedades adstringentes.

Sem adição de açúcar, no Japão, o chá verde é tão consumido quanto a água em outros países. Nos dias atuais, existem inúmeras variedades de chá verde envasados, prontos para o consumo, em lojas de conveniência, mercados e máquinas de venda automática.

rsz_green_tea1

Propriedades do chá verde

Muito ainda é estudado sobre as propriedades do chá verde. Mas é certo que este chá possui cinco vezes mais vitamina C do que o limão, além de ser vasodilatador e limpar as impurezas do sangue. Por isso, os japoneses o tem como um poderoso método para evitar gripes e resfriados.

Numerosos estudos têm demonstrado também, que o chá verde está intimamente relacionado a perda de peso e ao físico esbelto dos japoneses. Já que esta planta contém muitas enzimas, que agem diretamente no metabolismo e não fixa gorduras ruins.

A catequina, um importante antioxidante muito presente na planta do chá verde, age contra o envelhecimento das células, ajuda a prevenir a pressão alta e diabetes. Além de seu alto poder antibacteriano, que a introduziu em muitos produtos, como toalhas higienizadoras e gomas para evitar o mau hálito.

O extrato de chá verde, atualmente, entre muitos outros produtos, é muito utilizado na fabricação de eau de parfum, incensos e na aromaterapia por sua fragrância fresca, doce e suave, primorosamente japonesa.

rsz_green_tea4
Kit Kat sabor chá verde, exótico!

Por todas essas propriedades e significados no estilo de vida do Japão, o chá verde é considerado o principal segredo responsável pela saúde e longevidade desse povo.

O que você acha?

Comentários

Share via