Celebre o Ano Novo com saquê, como a tradição do Japão

Celebre a chegada do Ano Novo com saquê, como é hábito no Japão. O saquê é considerado a “Bebida dos Deuses” e é indispensável nas grandes comemorações deste país, segundo a tradição.

Conheça um pouco da história, da produção e dos hábitos de consumo milenares desta bebida típica do Japão.

O que é o saquê

Saquê é uma bebida tradicional japonesa feita de arroz fermentado. Ele foi consumido e usado em cerimônias religiosas há mais de 2000 anos e a história do Japão se confunde com a história do saquê.

O saquê foi mencionado no “kojiki”, o livro mais antigo sobre a história do Japão, que é um país conhecido por seus peculiares costumes e tradições. E assim também ocorre com esta tradicional bebida.

saqu-2_696x221

Uma breve história do saquê

A história do saquê no Japão acompanha o início do cultivo do arroz neste país, cerca de 300 aC, quando foi produzido pela primeira vez.

Enquanto que a bebida pode ser encontrada na história da China há mais de 4.000 anos atrás, foi no Japão que o saquê ganhou popularidade.

Ao longo dos séculos o processo de fazer o saquê mudou, em alguns momentos de forma drástica e em outros de forma mais sutil.

Hoje, as pessoas do mundo todo podem desfrutar desta bebida, sem precisar visitar o Japão para fazer isso.

Existem pessoas que se referem ao saquê como um vinho de arroz. No entanto, esta bebida é fermentada de uma maneira completamente diferente de qualquer outro tipo de álcool.

Após o farelo ser removido, o arroz é polido de modo a remover a proteína e os óleos presentes no grão. Pelo fato do arroz ser rico em amido, ele é ideal para a preparação desta bebida fermentada.

Susano'o Slaying the Yamata no Orichi - Toyohara Chicanobu
Susano’o Slaying the Yamata no Orichi – A lenda do dragão de oito cabeças, derrotado após ser embriagado com saquê – Toyohara Chikanobu

Uma vez que é limpo e polido, o arroz é embebido em água e cozido. Nos tempos antigos, nas aldeias, as pessoas mastigavam uma mistura de arroz e nozes e a cuspiam em um tipo de banheira.

As enzimas, naturalmente encontradas na saliva humana, desempenham um papel crucial na fermentação do mosto de arroz. E essa era também a parte de uma cerimônia religiosa xintoísta.

saqu-barril_696x522
Barris de saquê

Depois, sacos de lona eram usados para extrair o álcool do mosto de arroz, que em seguida eram armazenados em barris de madeira.

Ao longo dos séculos o aspecto de mascar o arroz foi eliminado e as fábricas de saquê começaram a introduzir o fungo koji. E mais tarde, a levedura foi adicionada ao mosto.

Durante o Período Asuka o saquê era feito de arroz, água e fermento koji, e tornou-se um álcool muito potente. O período do Heian restringiu o saquê para uso religioso e raramente era consumido.

saqu-utagawa-kuniyoshi_696x340
For sake’s sake – Utagawa Kuniyoshi (1797-1861)

O saquê nas cerimônias

O saquê foi produzido por famílias e até mesmo em templos por monges, quando era usado para cerimônias religiosas xintoístas como oferenda aos deuses e para purificar o templo.

Quando o saquê é oferecido aos deuses, ele é chamado de “Omiki”. As pessoas bebem o Omiki para ganhar o favor e as bênção dos deuses, sob a forma de uma rica colheita ou a comunicação com eles.

O saquê também é usado para o “San-san-kudo”, ou a cerimônia em que a noiva e o noivo consomem a bebida durante o casamento budista.

Formas de servir o saquê

Por muitos séculos o saquê é compartilhado pelos membros da família e entre amigos. Pois é uma bebida que é levantada para brindar os momentos mais importantes na vida.

Acredita-se que você não deve servir o seu próprio copo de saquê, mas deve ser servido por um amigo e para ele vale a mesma coisa. O saquê é uma bebida que é para ser compartilhada e apreciada com as pessoas que você ama e respeita.

O saquê pode ser servido em pequenos copos de cerâmica “choko”, ou em frascos de cerâmica conhecidos como “tokkuri”. A temperatura em que deve ser servido, depende das condições climáticas e da estação.

Pode ser oferecido quente, frio ou na temperatura ambiente. No entanto para a melhor qualidade é recomendável não aquecê-lo. O aquecimento do saquê pode causar a perda do aroma e do sabor.

saqu-service_696x627

Outra forma interessante de servir essa bebida tradicional é no “masu”, um copo de madeira que semelhante a uma caixa, que é usado para medir o arroz.

O “masu” pode ser usado como um pires. A bebida é vertida no copo de uma maneira que ela transborda e enche ambos os recipientes. Isso indica a generosidade do anfitrião.

Saquê Premium

A fabricação do saquê passou por algumas melhorias e alterações no processo de fermentação. Isto inclui a pasteurização e a adição de alguns ingredientes durante a fase de fermentação.

Porém, hoje o saquê mais puro e sem adição de ingredientes, considerado o melhor saquê, é chamado de Premium e durante seu processo de produção deve ter pelo menos 30% de polimento do arroz utilizado na fabricação.

saqu-geisha_696x998
Geisha Drinking from Sake Kettle – Tsukioka Yoshitoshi (Japan -1880)

Quanto mais polido o grão de arroz, melhor será o saquê. O grau de polimento do arroz é chamado de “Seimaibuai”, e essa palavra costuma ser um indicador da qualidade do saquê nos rótulos da bebida.

Sendo assim, um saquê com:

  • menos de 30% de polimento do arroz é considerado Comum;
  • 30% de polimento do arroz é considerado Premium;
  • 40% de polimento do arroz é Super Premium Ginjo;
  • 50% de polimento do arroz é Super Premium Dai Ginjo.

Outros fatores como a adição de álcool, açúcar ou o tipo de água podem conferir diferentes características ao saquê.

Gostou da sugestão? Então, que tal um brinde ao Ano Novo, com saquê para trazer boa sorte?  Viva 2017!

Comentários

Share via