Monte Fuji: símbolo do Japão e uma joia da natureza

O Monte Fuji é uma montanha mundialmente famosa e símbolo do Japão, que guarda ao seu redor uma herança cultural milenar e uma paisagem de tirar o fôlego.

Conheça um pouco da história e da região deste famoso vulcão, com seus lagos, tradições, fontes termais e vinhos internacionais.

Joia da Natureza

A forma perfeitamente simétrica dos seus 3.776 metros de altura pode ser vista em todo o seu redor.

Os japoneses o chamam de “Diamante Fuji”, uma joia que quando iluminada pelos raios do nascer ou do pôr do sol torna-se o “Fuji Vermelho”.

rsz_fuji_red

Esse espetáculo da natureza sempre foi objeto de inúmeras obras de arte, desde os primeiros Ukiyoe (xilogravuras), que influenciaram artistas como van Gogh.

O Monte Fuji fica na província de Yamanashi, a apenas 100 km do centro de Tóquio, 2 horas de viagem pelo trem expresso.

Vulcão Sagrado 

A última erupção do Fuji ocorreu, aproximadamente, há 10.000 anos atrás. Formado por um fenômeno geológico de sobreposição de camadas de lava que se espalharam e endureceram, o Monte Fuji possui uma extensa base cônica.

Essa formação de lava atua como um filtro natural para a água que corre pela encosta, dando origem à água mineral Fuji.

Na aldeia de Oshino, na província de Yamanashi, existem oito lagoas que impressionam por suas águas azuis, onde é possível avistar trutas douradas nadando preguiçosamente.

rsz_fuji_truta

Fujigoko, os cinco lagos do Monte Fuji, inclui o Lago Motosu, Lago Kawaguchi, Lago Shoji, Lago Sai e o Lago Yamanaka. As margens desse lagos são coloridas por flores sazonais, como o musgo rosa, a lavanda e as tulipas.

rsz_1fuji_vermelho

Quando a imagem do Monte Fuji reflete na superfície dos lagos forma sua imagem invertida, chamada de “Fuji Upside-Down” que está representada nas notas de 1.000 ienes.

rsz_fuji_invertido

Escalada do Monte Fuji

A escalada do Monte Fuji é uma grande atração do local. A subida não é difícil e pode ser distribuída ao longo de dois dias de caminhada.

Cerca de 300.000 pessoas fazem a escalada do Monte Fuji a cada ano, guiadas por alpinistas experientes. As roupas de inverno são parte essencial para subida, pois mesmo no verão, as temperaturas podem ser de 5 º C durante a tarde.

Na subida, os alpinistas podem observar o céu incrivelmente estrelado e a Ursa Maior. Além de descansar algumas horas em um dos refúgios e sair antes do amanhecer para continuar o trajeto.

Culto à Montanha

Entre os séculos XVII e IXX, o Monte Fuji era visto como uma poderosa energia mística e sua adoração era chamada de Fuji-Ko.

Desde essa época remota, o Santuário Kitaguchi Hongo Fuji Sengen foi ponto de partida de peregrinações ao cume.

rsz_fuji_kitagushi

Este Santuário foi construído no ano de 788 como forma de acalmar as pessoas que tinham o temor de uma erupção vulcânica.

Por isso, a cada ano, neste Santuário, no final do mês de agosto, ocorre um dos festivais mais tradicionais do Japão, com 70 grandes tochas de 3 metros de altura, chamadas de taimatsu, que são acesas ao longo de um percurso de 2 km.

Fontes Termais e Vinhos

Em torno do Monte Fuji existem várias fontes termais, Onsen em japonês, onde os visitantes podem banhar-se em águas termais ao ar livre, enquanto admiram a linda paisagem do Monte Fuji.

rsz_fuji_onsen

A região da prefeitura de Yamanashi é uma das principais produtoras de frutas do Japão, onde existem muitos campos de pêssegos e uvas, que amadurecem entre o verão e o outono.

E a cidade de Koshu, no lado norte do Monte Fuji, produz uma variedade de uva há mais de 1.300 anos, chamada também de Koshu.

rsz_fuji_koshu

Esta casta é da mesma linhagem das uvas utilizadas nos vinhos europeus. E o vinho produzido a partir da uva Koshu, avançou muito em seu processo de produção nos 10 últimos anos, sendo apreciado até mesmo na Europa por seu delicado sabor.

Impossível não curtir esse roteiro, não é mesmo?

 

Comentários

Share via