Sento: parte da cultura e do cotidiano no Japão

 

Tanto nos meses mais quentes do verão, quanto nos dias frios de inverno, o sento, uma casa de banho pública, tem popularizado um modo de banhar-se que faz parte da cultura e da história do povo japonês. Uma prática indispensável do cotidiano no Japão, que tem sido transmitida ao longo do tempo até os dias atuais.

Neste artigo você irá conhecer o sento, sua história e tradição, suas regras de etiqueta, arquitetura e os seus novos frequentadores.

Sento: história e tradição

O Japão possui uma variedade de instalações de banho como lazer, que vão desde nascentes de águas termais até grandes parques temáticos com muita água como entretenimento.

Porém, entre as mais tradicionais estão os sento, que são casas de banho públicas e acessíveis. Com grandes banheiras, são historicamente o jeito de banhar-se no Japão.

Os banhos comunitários são um convite para os japoneses voltarem às suas raízes, para a primeira metade do século XII. Época que os banhos de vapor eram uma regra.

rsz_sento_wikipedia
Fonte: Wikipedia

Porém o banho de imersão em água quente, foi uma prática que chegou, primeiro, no moderno dia-a-dia de Tóquio, durante o período em que a cidade se chamava Edo (1603-1867).

Naquela época, a cidade de Edo e os seus cidadãos eram constantemente expostos à brisa do mar que transportava areia e poeira. Estes banhos eram uma maneira das pessoas limparem-se da sujeira de todos os dias, além de serem uma parte essencialmente agradável de cada dia.

Ao longo dos tempos, os banhos públicos foram motivo para as conversas animadas, e para os jogos de shogi (xadrez japonês) no vestiário. Ou simplesmente, um momento para admirar um tranquilo jardim.

Portanto, os banhos públicos, ou sento, oferecem um espaço para as pessoas relaxarem e se desligarem da correria do dia-a-dia. Algo que tem permanecido inalterado ao longo de centenas de anos.

A etiqueta do sento

Ao final da tarde, aumenta muito a quantidade de pessoas que passam por baixo da cortina de pano, chamada de noren, com a palavra “água quente” estampada, na entrada do sento.

Estando lá dentro, as pessoas precisam tirar os sapatos e ir pagar a entrada no balcão tradicional ou plataforma, conhecida como bandai, onde o atendente aguarda sentado.

Hoje muitas instalações de sento optaram por atualizar suas entradas com cobradores mais modernos, porém muitas pessoas ainda possuem um carinho especial pelos saudosos bandai.

rsz_sento_2

A taxa de entrada varia de acordo com o bairro. Mas, para adultos, geralmente é cobrado entre ¥300 a ¥450 ienes.

Após despirem-se, os frequentadores colocam suas roupas em um armário e seguem para o banho. No local, encontram um piso de cerâmica brilhante, teto alto, para manter o ar circulando, e enormes banheiras cheias de água quente.

Mas, não pode simplesmente ir direto ao banho de banheira. Primeiro, a etiqueta ordena que o banhista deve lavar-se bem. Da mesma forma, não podem colocar suas toalhas na água do banho. Por isso, é comum ver pessoas na banheira com as toalhas sobre suas cabeças.

Fonte: The Japan Times
Fonte: The Japan Times

Arquitetura do sento

Ao visitar um sento, é muito provável encontrar uma parede pintada com uma imagem imponente do Monte Fuji. Na verdade, este costume é tão profundo, que estas pinturas do Monte Fuji são praticamente sinônimo de sento.

Houve um período em que as paredes do sento eram utilizadas para a publicidade e foi neste momento que essas casas de banho, principalmente em Tóquio, começaram a ter suas paredes pintadas com imagens do Monte Fuji.

Sento Architectural Museum/Wikipedia
Sento Architectural Museum/Wikipedia

Pintores qualificados usavam quatro cores de tinta para misturar e criar os tons necessários e com pincéis e rolos executavam habilmente o trabalho. Hoje existem apenas dois pintores em Tóquio que ainda pintam esses quadros.

Um estilo arquitetônico que é típico dos sento é o de Miya-tsukuri, ou telhados normalmente utilizados em santuários. Este tipo de construção de sento data do início do século XX, e essa prática tem sido adotada como uma típica arquitetura para sento.

Wikipedia
Entrada do Sento

Nos últimos anos, muitos sento sofreram renovações e foram construídos como edifícios modernos. No entanto, em Tóquio ainda é possível encontrar inúmeros balneários com a arquitetura e elegância tradicional.

Novos frequentadores

Na década de 80, os números de sento no Japão começaram a decrescer e a maioria dos japoneses passaram a banhar-se mais em suas próprias casas.

Porém, hoje um dos fatores que tem contribuído para atrair novos frequentadores para os banhos públicos no centro de Tóquio são os serviços especiais  para os corredores urbanos.

Desde que a maior maratona do país, a Maratona de Tóquio, passou ater cada vez mais participantes, um número crescente de corredores passou a tomar conta das ruas desta capital.

Muitos destes corredores trabalham no centro de Tóquio e aspiram participar da maratona, treinando diariamente suas voltas ao redor do Palácio Imperial.

A falta de espaços para mudar de roupa e limpar-se depois da corrida impulsionou um aumento no número desses novos frequentadores nas casas de banho. Tornando-se o centro de apoio para os treinos desses maratonistas.

Sento Tóquio/Wikipedia
Sento Tóquio

Hoje, essas casas de banho públicas do centro de Tóquio vivem repletas de trocas de informações sobre a execução e resultados de treinos, e os atletas encontraram um novo ambiente, onde corredores e não-corredores se envolvem em divertidas e animadas conversas, redescobrindo o fascínio dos sento como um ótimo lugar para relaxar, socializar e e se informar.

Muito interessante, vocês não acham?

Comentários

Share via