3 espetaculares “jardins japoneses” de Tóquio

Conheça 3 espetaculares parques de Tóquio que representam com a natureza toda a arte e história do Japão em seus jardins tipicamente japoneses.

Os jardins japoneses são conhecidos por ser uma arte que junta em seu projeto paisagístico elementos e simbologias que provoquem a reflexão, através da perfeita integração de seus elementos.

Conheça 3 autênticos jardins japoneses de Tóquio, respire fundo e se encante com tanta beleza.

1 – Shinjuku Gyoen

O Shinjuku Gyoen é um grande parque urbano de Tóquio no qual existem características dos jardins japoneses, ingleses e franceses e foi encomendado pelo Imperador em 1906.

O Shinjuku Gyoen era o parque particular do Imperador até o final da Segunda Guerra Mundial, quando os americanos incentivaram a família real do Japão a renunciar a algumas de suas propriedades para o bem público.

Os jardins foram projetados em 1906 no auge do poder do Imperador Meiji. A era Meiji foi uma época de rápida industrialização e ocidentalização do Japão.

O Japão recrutou renomados especialistas da Europa e da América para projetar tudo, desde arte até as táticas militares para o espaço dos jardins.

Por isso, o parque possui um jardim formal francês, a paisagem de um jardim Inglês e características de um jardim japonês, com uma casa de chá.

2 – Jardim Rikugien

O Jardim Rikugien foi construído por ordem do Shogun Tokugawa Tsunayoshi em 1695, demorou sete anos para ser finalizado e reproduz 88 cenas de poemas clássicos do Japão.

O Jardim Rikugien é um jardim japonês de 21 hectares que passa pelo centro de Tóquio, considerado um dos melhores jardins do Japão.

Foi construído no período Edo, um período de relativa paz no Japão, uma época em que o Shogun estava mais ocupado com suas festas e cerimônias do chá, do que lutar em guerras.

O jardim foi construído em um período em que muitos membros da classe guerreira samurai se tornaram acadêmicos e administradores do governo. Foi uma época em que o Japão teve um grande progresso social e cultural.

Os shoguns utilizavam o Jardim Rikugien como um de seus jardins pessoais.

O Jardim Rikugien fica em torno de uma pequena lagoa.

Os caminhos do Jardim Rikugien oferecem diferentes vistas que incluem miniaturas das cenas de 88 poemas japoneses clássicos. Percorrer todo o caminho demora cerca de uma hora em passos lentos.

O Jardim Rikugien possui muitas plantas e árvores sazonais, como a sakura, além de ser conhecido por suas cores espetaculares de outono. Durante essas estações, o jardim permanece aberto à noite.

As duas casas de chá do jardim ficam muitas vezes abertas ao público, nas quais são servidos matcha (chá) e lanches, nos bancos com vista para o jardim.

3 – Jardim Imperial

O Jardim Imperial (Imperial Palace East Gardens) é um grande parque ao lado do Palácio Imperial, o local das ruínas do castelo do período Edo e de vários jardins.

No Jardim do Palácio Imperial existe uma grande variedade de árvores que foram doadas por cada uma das prefeituras do Japão.

A atração principal do Jardim do Palácio Imperial são as ruínas do Castelo Edo, com fosso, pontes, portões, paredes e guardas.

Os Shoguns Tokugawa governaram o Japão do Castelo Edo de 1603 a 1868.

O Castelo Edo foi um dos maiores feitos da engenharia de toda a história. Seu fosso exterior ocupou uma vasta área que se estendeu além da atual Estação de Tóquio. Seus fossos internos tinham grandes paredes de pedra que se erguiam sobre o Edo.

Até o mar foi movido para proteger o castelo dos tsunamis e tempestades e Fortes em ilhas artificiais foram construídos na Baía de Tóquio para proteger o castelo dos navios.

Hoje o castelo não existe mais, pois foi queimado em 1873 e demolido. Seus fossos exteriores estiveram na maior parte do tempo cheios para abrir caminho para o desenvolvimento.

O atual Palácio Imperial utilizou muitos dos fossos e das paredes do castelo em seu projeto.

A base de uma torre da guarda, que foi o edifício o mais alto do Japão e simbolizava o poder do Shogun, foi decorada com ouro e queimou em 1657, depois nunca mais foi reconstruída.

A parte leste do Jardim Imperial abriga os edifícios da administração e há também um salão de música privado, conhecido como o Tokagakudo, construído em 1963 como um presente de aniversário para a Imperatriz Kojun.

Ao lado leste da propriedade também, existe um agradável jardim japonês aquático.

Um total de 260 árvores foram doadas por diferentes prefeituras do Japão, plantadas apenas no lado oeste.

Jardins espetaculares mesmo, concordam?

Comentários

Share via