Conheça as mais temidas superstições japonesas

Quando eu era criança, a minha avó costumava dizer: “Não é bom cortar as unhas à noite!”, ou então, “menina, para de assobiar!”. Com uma pulga atrás da orelha, sempre a obedecia. Não sei se alguns de vocês já escutaram tais superstições, mas hoje vim aqui para esclarecê-las.

O Japão possui um vasto número de superstições que são mantidas vivas ao longo de gerações por grande parte da população que leva a sério muitas das crenças. Entre inúmeras superstições japonesas, escolhi quatro para mostrá-las a vocês. Opa, quatro?

Talvez essa não seja uma boa escolha… Continue lendo e entenda o porquê. E na dúvida, dê três batidas na madeira e siga em frente.

1) Número 4

O quatro é temido por muitos japoneses que o consideram um número de azar. Isso porque a pronúncia do quatro é a mesma da palavra morte, ou seja, shi.

Além do número quatro, especificamente, algumas de suas variações também não são vistas com bons olhos, assim como 24, 42, 43 e 420, devido a associações de suas pronúncias com significados relacionados à morte.

Essa crença é tão recorrente que alguns prédios de hospitais e hotéis ignoram tal numeração. As pessoas geralmente também evitam presentear alguém com algo composto por quatro peças.

O quatro é temido por muitos japoneses que o consideram um número de azar. Isso porque a pronúncia do quatro é a mesma da palavra morte, ou seja, shi.

Tal superstição também influi em escolhas feitas por pessoas que crêem no poder desse número de azar. Certa vez, em um stand de venda de imóveis, a corretora me perguntou: “Você tem alguma aversão a apartamentos localizados no quarto andar?”.

Ao indagar o motivo de tal pergunta, ela me contou que uma de suas clientes, que possui ascendência japonesa, não comprava apartamentos associados ao número quatro de maneira nenhuma.

2) Espetar comida com hashi

Espetar o hashi no arroz? Para os japoneses, nem pensar!

Uma tigela de arroz com o hashi espetado verticalmente é tradicionalmente levado ao altar em oferenda aos mortos durante um funeral. Excluída essa ocasião, não é recomendado furar a comida com hashi, pois é considerado um ato que trará azar a sua vida.

3) Dormir com a cabeça para o norte

Quando criança, ao mudar de casa, eu estava muito animada com o fato de poder arrumar o meu quarto novo. Já tinha em mente como tudo iria ficar, inclusive a disposição dos móveis. Até que a minha mãe disse que a cama iria ficar melhor posicionada de outra maneira. Entenda comigo o porquê.

Segundo a crença japonesa, dormir com a cabeça para o norte atrai uma vida curta. Isso porque, durante o velório no Japão, o falecido é posicionado dessa forma. Portanto, a cabeceira da cama deve estar direcionada para o sul.

4) Cortar a unha e assobiar à noite

Ao anoitecer, é recomendável tomar alguns cuidados. Segundo a superstição japonesa, não se deve cortar as unhas de noite, pois isso pode significar que você não estará no leito de morte dos seus pais. Também não é aconselhável assobiar durante a noite, porque isso atrai cobras, ladrões e até fantasmas.

Essas foram algumas das superstições japonesas existentes no país. Você conhece outras crenças contadas por seus avós?

Comentários

Share via