Grou: conheça o valor simbólico dessa ave no Japão

Tenho certeza que muitos de vocês já ouviram algo sobre o grou e já viram as dobraduras que representam essas aves. Mas você conhece seus significados e suas lendas? No post de hoje, conheceremos mais sobre a história desse pássaro.

Para começar, vamos esclarecer: Nem cegonha e nem garça. A ave de que estamos tratando é o grou. Devido as semelhanças, é comum muitas pessoas se confundirem.

(Crédito: Unravel)

Existem mais de 15 espécies de grous no planeta, porém um dos mais raros, majestosos e carregado de valor simbólico é o grou japonês (também conhecido como grus japonensis, tanchou, Red-Crowned Crane ou grou da manchúria), comum no leste asiático. Ele é um dos grous mais raros do mundo.

(Crédito: Unravel)

O grou é uma ave alta e graciosa famosa pela sua dança e por seu grande ruído.

 

Significado do grou para o povo japonês

Ao longo da história, o grou japonês ganhou diversos significados através de inúmeras lendas e histórias. O povo japonês acredita que ele é uma ave que simboliza sorte, paz, saúde, longevidade, fortuna, felicidade e fidelidade.

Diz-se que esse pássaro simboliza o amor conjugal e a fidelidade porque essas aves são monogâmicas, ou seja, elas possuem somente um parceiro durante a vida toda. Devido a isso, é comum o grou ser usado em decorações de casamentos e no uchikakekimono formal de casamento com imagens de grou bordadas.

Em Kushiro, Hokkaido (Crédito: Unravel)

Os japoneses se referem a essa ave como o “pássaro da felicidade” e os chineses como o “pássaro celeste” por acreditarem em uma lenda que diz que suas poderosas asas são capazes de levar as almas para o paraíso. Por isso, é comum ver a imagem do grou em caixões, com o objetivo de que a alma do morto seja levada para o céu.

Na mitologia japonesa, o grou é considerado o pássaro mais velho da Terra, com expectativa de vida de mil anos. De acordo com a lenda, esses pássaros faziam companhia aos eremitas que meditavam nas montanhas. Acredita-se que os eremitas tinham poderes sobrenaturais capazes de retardar o envelhecimento. Dessa forma, segundo o mito, os grous ganharam uma vida longa e os mesmos poderes místicos, tornando-se a ave símbolo da longevidade.

A lenda dos “mil tsurus”

Devido a simbologia do grou na cultura japonesa, ele passou a ser representado em diversas expressões de arte como em dobraduras, em pinturas e na literatura.

A dobradura de grou é bastante tradicional e também carrega o simbolismo da ave. Para os japoneses, dar um tsuru a um amigo, indica que se deseja felicidade, vida longa e sorte a essa pessoa.

(Crédito: Divulgação)

O ritual de dobrar 1.000 tsurus é chamado de senbazuru (千羽鶴). Acredita-se que aquele que fizer mil dobraduras desse pássaro, com o pensamento voltado para aquilo que deseja alcançar, terá seu pedido realizado.

(Crédito: Divulgação)

Uma situação comum em que as pessoas se juntam para fazer o senbazuru é quando um amigo ou parente está doente. Nesse caso, o objetivo é a sua rápida recuperação. Outra circunstância em que costuma-se fazer os 1.000 tsurus é o casamento, na qual as pessoas fazem a dobradura a fim de desejar felicidade ao casal.

Veja como fazer um tsuru:

 

Sadako e os 1.000 grous de papel

Não se sabe desde quando existe o ritual de se dobrar 1.000 tsurus e nem qual é a sua origem. Porém, essa crença foi popularizada através da história de Sadako Sasaki.

Sadako Sasaki tinha apenas 2 anos quando a bomba atômica foi lançada sobre Hiroshima, no Japão, em agosto de 1945. Ela não se feriu e viveu normalmente até os 12 anos de idade quando descobriu que estava com leucemia devido a radiação nuclear a que foi exposta.

(Crédito: Huffington Post)

Enquanto estava no hospital, Sadako ficou sabendo sobre a lenda dos mil tsurus. Desde então, ela começou a dobrar tsurus fervorosamente, sempre pedindo pela sua cura e pela paz da humanidade, já que sua doença tinha sido causado pela bomba.

Mesmo debilitada, Sadako prosseguiu dobrando os tsurus, sempre mostrando-se corajosa e sem nunca entregar-se. Ela veio a falecer em 25 de outubro de 1955, antes de completar os 1.000 tsurus. Porém, seu exemplo tocou profundamente seus colegas de classe que dobraram os grous que faltavam para que ela fosse enterrada cercada pelas mil dobraduras.

A história de Sadako ficou mundialmente conhecida pela sua perseverança, esperança e mensagem de paz. Ela é considerada como um dos símbolos da luta pelo fim das armas nucleares.

Estátua de Sadako Sasaki no Parque Memorial da Paz em Hiroshima. (Crédito: Shiki Book)

Inspirados pela sua coragem e força, seus amigos iniciaram uma campanha para arrecadar dinheiro para construir um monumento para Sadako e para todas as crianças que morreram em consequência da bomba atômica. Em 1958, a estátua de Sadako segurando um tsuru dourado foi construída no Parque Memorial da Paz em Hiroshima. Na base do monumento estão gravadas as seguintes palavras: “Esse é o nosso grito. Essa é a nossa reza. Paz no mundo!”.

(Crédito: Nikka Yuko)

Desde então, o tsuru passou a ser símbolo de esperança e paz. Todos os anos, milhares de origamis do pássaro são enviados de todas as partes do mundo ao Memorial de Hiroshima, representando o desejo contínuo pelo desarmamento nuclear e pela paz mundial.

 

Comentários

Share via