Americano passou no Kanji Kentei e provou não ser impossível aprender Kanji

Ler e escrever kanji pode ser bem complexo, mas um americano provou não ser impossível se tiver interesse, foco e dedicação.

O Kentei shiken engloba uma série de testes com conhecimentos de escrita japonês de nível alto do período Edo, um deles é o Kanji Kentei ou Kanken para testar os conhecimentos em kanji.

Como é o teste Kanji Kentei

O Kanken testa a habilidade em escrever e ler kanji na forma tradicional, o teste possui 10 níveis.

Para começar no nivel 10 é preciso ter conhecimento de 80 tipos de kanji, que as crianças geralmente aprendem na escola elementar, assim que se passa de nível a dificuldade aumenta para até 6,000 kanjis. No nível 2, a pessoa deve conhecer os 2,136 caracteres de kanji, comuns no ensino médio.

Para ter ideia, um cidadão japonês aprende na escola cerca de 3,000 e deve estar familiarizado com eles, acima disso é preciso dedicação extra para aprender o resto por vontade própria e estudar no nível expert.

É muito comum no Japão para as escolas de ensino médio e universidades e até empresas pedirem o teste ou serem levados em consideração para o curriculum. Cerca de 10% a 15% conseguem concluir o primeiro nível e conseguir o certificado a cada ano.

Em 2012, Bret Mayer, de 32 anos e residente de Hamamatsu, Shizuoka foi um dos poucos a concluir todas as etapas e certificar-se no Kanji Kentei.

Se interessou aprender Kanji com Dragon Ball

Bret Mayer contou em entrevista que sua paixão pelo Kanji começou no ensino médio, quando estudou no Japão e se interessou pelo anime Dragon Ball. Conta que o desenho o motivou e pegou vários livros da biblioteca e começou a estudar com afinco.

Após voltar para New Jersey, sua fascinação pelo kanji continuou e voltou para o Japão em 2008, para morar em Hamamatsu e ouviu falar do teste Kanji Kentei.

Estudar para o teste o ajudou a se organizar de acordo com os níveis e começou a praticar sua escrita. Em sua primeira tentativa no nível 8, com conhecimento de 440 kanjis, passou de primeira.

Nos anos seguintes, foi passando de níveis com sucesso, fez os testes de pré-2 e 2 no mesmo dia, passou pelo pre-2 de primeira e refez o 2 e passou.

O nível pré-1 passou na segunda tentativa, o nível 1 e último, levou cinco tentativas e um ano e meio estudando. Sua maior dificuldade foi encontrar livros para estudar para os níveis mais altos. Conta que é preciso muita vontade e empenho em estudar por conta própria.

Dicas para aprender Kanji de Bret

Seu método preferido para aprender kanji é praticar a escrita, diz que algumas pessoas preferem estudar com cartões e repetições, mas ele conta que a melhor forma é pelo método prático.

Em seu período de estudos, ele preencheu cerca de 50 cadernos, com escritas de kanji, com significados dos caracteres e como ler. Tudo separado por cor e organizado.

Qualquer pessoa pode aprender Kanji

Ele recomenda o teste a qualquer pessoa que deseje aprender kanji, mesmo não tendo nascido no Japão, conta que uma amiga passou do nível 10 após ter ficado no Japão por 6 meses.

Para aqueles que ficam receosos em aprender kanji ou falar japonês, Bret mostrou que é possível, se quiser e tiver dedicação nos estudos.

Bret ficou conhecido e hoje dá palestras contando suas experiências no teste e como é possível uma pessoa que não tenha nascido no Japão aprender a falar e escrever japonês, ele faz parte do corpo educativo de Kanji pela Universidade Ritsumeikan, no Japão.

Lançou dois livros ensinando o Kanji: Exercícios em Kanji pelo método Bret e Meu primeiro livro de Kanji e ainda concede entrevistas e possui vídeos no youtube com dicas de estudos para o teste Kanji Kentei.

Comentários

Share via