Conheça a ilha de coelhos no Japão

No Japão existe uma ilha repleta de coelhos que recentemente ficou conhecida e muitos turistas começaram a ir lá fazer vídeos e tirar fotos. A ilha fica em Okunoshima e centenas de coelhos amigáveis recepcionam os visitantes em busca de um afago e comida.

Turistas estão matando os coelhos

O próprio local vende saquinhos com ração para quem quiser alimentá-los, mas desde a sua popularização, devido a um vídeo de 2014, muitos coelhos morreram por receber comidas de fora ou os visitantes terem destruído a vegetação de lá.

Muitos deles levam repolhos para alimentar os coelhos, mas o vegetal é tóxico para o sistema digestivo sensível dos bichanos. Existem diversos avisos em relação à alimentação, mas muitos deles ignoram.

Gatos e cachorros também não são permitidos durante a visita à ilha para proteger os habitantes fofos de Okunoshima.

Confira um dos primeiros vídeos dos coelhos de Okunoshima e fez a ilha ficar conhecida:

Origem dos coelhos de Okunoshima

A origem dos coelhos é desconhecida e existem muitas especulações em como eles foram parar na ilha. Uma das teorias é que por conta da II Guerra Mundial, os coelhos serviram parar testar armas químicas e eram produzidas em Okunoshima.

Durante os anos de 1929 até 1945 a fábrica de armas químicas era desconhecido e mantida em sigilo total, ninguém chegava perto e Okunoshima não aparecia sequer nos mapas, nos dias de hoje, existe um museu do gás para relembrar essa fase da ilha.

O professor de políticas japonesas, Ellis Krauss da Universidade da Califórnia afirma que a teoria dos testes é improvável, pois os americanos fizeram eutanásia nos coelhos usados nos testes durante a ocupação da ilha depois da guerra, foram cerca de 200 coelhos sacrificados.

Alguns dizem que alguns coelhos foram deixados por um estudante da escola elementar na década de 70 e outros dizem que um casal de britânicos soltou um casal de coelhos em Okunoshima.

Créditos: Daily Mail
Créditos: Daily Mail
Créditos: Daily Mail
Créditos: Daily Mail
Créditos: Daily Mail

Comentários

Share via