Fenômeno “kousa” atingiu Japão causando problemas à população

Neste último final de semana, o fenômeno “kousa” atingiu várias regiões do Japão. A ocorrência foi registrada pela primeira vez neste ano, durante a manhã do dia 6 de maio, na cidade de Matsue, na província de Shimane.

Kousa ANN News
(Crédito: Reprodução/ANN News)

No dia 7 de maio, o fenômeno estendeu-se sobre uma vasta área do Oeste ao Norte do Japão (regiões de Hokkaido, Tohoku, Chubu, Kansai e Kyushu) e também para partes da região de Kanto (províncias de Gunma e Ibaraki).

ANN News
(Crédito: Reprodução/ANN News)

No dia 8 de maio, o kousa abrangeu principalmente o Oeste do Japão. Mas, também pôde ser observado em diversas outras regiões de Hokkaido, ao norte à Kyushu, no sudoeste. Em vários locais, uma névoa tênue obscureceu a paisagem e causou problemas respiratórios à muitas pessoas devido as partículas de areia fina.

Entre os 59 pontos de observação em todo o país, o kousa pôde ser visto através de 44 locais em cidades como Osaka, Kobe e Kyoto, no dia 8 de maio. Enquanto áreas do Japão geograficamente mais próximas da China são as mais afetas, alguns moradores de Tokyo também queixaram-se de um céu cor de areia e de coceira nos olhos.

O que é kousa?

Mas, afinal, o que é este fenômeno chamado “kousa“?

poeira amarela pelo Japão
(Crédito: The Watchers)

Kousa é um fenômeno meteorológico que ocorre todos os anos no Japão durante a primavera. Trata-se de uma ocorrência em que a areia amarela dos desertos da China e da Mongólia é transportada para regiões do Leste Asiático como a China, Coréia do Norte e do Sul e Japão pelos ventos e pelas tempestades de areia que ocorrem nos desertos.

A expressão japonesa kousa (黄砂 – こ う さ) também pode ser chamada de “areia amarela” (yellow sand), “poeira amarela” (yellow dust), “poeira asiática” (asian dust) ou “poeira eólica” (aeolian dust).

 

Leia também:

 

Danos causados pelo fenômeno

As partículas de areia inspiradas por seres humanos podem causar danos à saúde, principalmente para quem possui problemas respiratórios. Alguns dos sintomas da alergia à poeira podem ser coceira nos olhos, espirros, falta de ar e dermatite atópica. Por isso, a Agência Nacional de Meteorologia (Kishou-chou) indica o uso de máscaras.

tosse
(Crédito: Divulgação)

A poeira amarela também pode comprometer a visibilidade. Neste caso, a Agência recomenda o cuidado redobrado aos motoristas. Ainda é comum que as pequenas partículas de areia se acumulem nas roupas e nos automóveis.

Poeira nos carros
(Crédito: Reprodução/ANN News)

Além da areia amarela, os ventos também trazem poluição, pesticidas e até mesmo vírus e bactérias. Neste ano, a cidade de Fukuoka recebeu uma alta concentração de poluentes no ar devido a concentrações elevadas de partículas inaláveis ultrafinas (PM2,5).

Esses altos níveis de contaminação do ar representam risco à saúde da população. Especialistas dizem que esta forma de poluição atmosférica pode desencadear respostas inflamatórias tanto no trato respiratório quanto nos vasos sanguíneos.

“Quando os níveis estão bastante altos, recomendamos que as pessoas evitem atividades ao ar livre, particularmente os idosos, os jovens e qualquer pessoa com problemas respiratórios ou qualquer outra doença que possa ser agravada pela exposição a essa poluição”, disse Daisuke Tsuchida, pesquisador do Instituto de Fukuoka de Saúde e Ciências Ambientais.

Embora não seja um fenômeno tão grave, é bom estar ciente de quando ele ocorre, principalmente, se você estiver nas regiões de grande incidência. Neste caso, você poderá estar prevenido, recolhendo as suas roupas do varal e colocando a sua máscara.

 

Fonte: Japan TimesAsahi e scmp
Imagem destacada: woman.excite

Comentários

Share via