O Japão é um país de uma cultura única e cheio de coisas incríveis. Mas, infelizmente, ele também tem seus problemas sociais críticos.

Um deles que mais chama a atenção, por ser realmente grave, é a alta taxa de suicídio. No Japão, cerca de 70 pessoas cometem suicídio por dia!

Leia também:

70 pessoas cometem suicídio todos os dias

O Japão é um pequeno país insular com poucos problemas sociais. No entanto, cerca de 70 pessoas se suicidam todos os dias fazendo deste fato um problema sério e contínuo.

De acordo com os números de suicídio da OMS, em 2012, o Japão ficou classificado como o 16º país de maior taxa de suicídios do mundo no mundo. (18,5% / 100.000)

Em 2012, mais de 25 mil pessoas tiraram suas próprias vidas e a taxa de suicídio entre os homens foi 2,3 vezes maior do que a das mulheres.

Por que tantas pessoas cometem o suicídio no Japão?

Claro que ninguém tem os mesmos problemas. Portanto, a razão pela qual as pessoas se suicidam depende de cada caso.

Mas parece que existem alguns motivos mais comuns que levam os japoneses a se sentirem sob muita pressão, levando-os ao desejo de se matar. Os principais são:

1. Bullying

O bullying (principalmente na escola) é uma das questões sociais controversas que eleva a taxa de suicídio no Japão.

Muitos japoneses ficam sabendo todos os anos, gerando muitas notícias, uma série de casos de suicídio resultantes do bullying na escola.

Muitas vezes, mesmo depois de um aluno ter tirado sua vida, as escolas não admitem que houve bullying em seu ambiente e dizem que o suicídio do aluno não tem nada a ver com a escola.

O bullying na escola, frequentemente, inclui abuso físico e mental.

2. Cyber bullying

Juntamente com o desenvolvimento da tecnologia, o bullying na internet passou a prevalecer na sociedade japonesa.

Muitas pessoas sofrem mentalmente por causa do assédio pela internet.

Esse tipo de bullying mostra pouca piedade, porque os valentões são muitas vezes anônimos e podem dizer ou fazer o que quiserem, sem pensar ao fundo nas conseqüências.

3. Hikikomori (isolamento de outros)

Hikikomori (“isolamento social”) é uma palavra japonesa usada para a recusa de sair de casa / quarto.

Calcula-se que um milhão de jovens no Japão permanecem em seus quartos sem vontade de ir à escola ou ao trabalho.

Alguns deles permanecem presos em suas casas por décadas.

Essas pessoas hikikomori se excluem do mundo externo ao seu redor e ficam completamente isoladas dos outros.

Um número significativo de pessoas hikikomori cometem suicídio, muitas vezes enforcando-se, se jogando pela janela ou tomando pílulas para dormir.

Muitas vezes, infelizmente, aqueles que se isolam não conseguem encontrar uma motivação para viver ou não valorizam suas próprias vidas na família e na sociedade.

4. Pressão financeira

As questões financeiras são uma das principais razões pelas quais os japoneses se suicidam atualmente.

O Japão ainda vive no sistema familiar tradicional. Nele, os homens costumam ganhar o dinheiro para o sustento da família, enquanto as mulheres ficam com as tarefas domésticas e os cuidados com os filhos.

Quando estes chefes de família não estão ganhando dinheiro suficiente para o sustento, sentem-se sem esperança e não suportam o peso sobre seus ombros, levando-os ao suicídio.

Além das diferenças psicológicas entre os homens e as mulheres, esta é, provavelmente, uma das principais razões pelas quais os homens cometem mais suicídio do que as mulheres no Japão.

5. Provas classificatórias

Assim como na China e na Coréia do Sul, as provas classificatórias, para o ingresso no Ensino médio e na Universidade, são um dos eventos mais difíceis que os japoneses enfrentam na vida.

Além da escola fundamental, muitos alunos vão para a escola preparatória (塾), onde recebem mais conteúdos e preparação para os testes de admissão no Ensino Médio.

E os alunos do Ensino Médio fazem o mesmo para se prepararem para as provas de ingresso na Universidade.

Lidar com a enorme pressão e ansiedade para ser aprovado nas provas de admissão numa idade tão jovem é quase brutal.

Por isso, alguns jovem se sentem sem outra escolha a não ser se matar para escapar desse ciclo de vida vicioso.

6. Sistema de recrutamento para o trabalho

O recrutamento simultâneo de recém-formados é uma forma muito comum dos estudantes universitários conseguirem um emprego no Japão.

Este sistema coloca os alunos sob muita pressão, porque, geralmente, eles precisam começar a procurar emprego em seu primeiro ano na faculdade. Ao mesmo tempo em que ainda precisam se concentrar nos estudos.

O Japão é um país muito competitivo quando se trata de obter empregos de prestígio. E a busca por estes cargos exige muito mais do que os estudantes universitários podem dar.

Muitos alunos pensam que se falharem neste novo recrutamento e se não conseguirem um emprego nestas empresas, durante a fase de recrutamento, ficarão muito deprimidos e sem esperança.

E de fato, a sensação de recusa da sociedade diminui sua motivação para viver e alguns optam por tirarem a própria vida.

7. Práticas históricas

Diferente dos países onde o cristianismo é a maioria e as pessoas aprendem que o suicídio é um pecado. O budismo e a cultura samurai não acusam as pessoas por se suicidarem.

Na verdade, algumas pessoas consideram o suicídio como uma maneira de assumir as responsabilidades por sua vida.

Na história do Japão, tanto para o suicida samurai harakiri (seppuku / 切腹) quanto os pilotos Kamikaze da Segunda Guerra Mundial, o suicídio não é considerado um ato desonroso.

Sabemos que é muito triste, mas o que vocês pensam sobre isso?

Fonte: Wasa-bi

Curta nossa página no Facebook
(Não aperte o botão se você já curtiu)

Comentários

comentários