Você sabia que as cesáreas no Japão têm corte vertical?

Em muitas clínicas e hospitais japoneses, e também em outros países asiáticos, até hoje é praticado o corte vertical (ou longitudinal) na cesárea, mesmo em partos sem risco.

Conheça as principais questões que levam à escolha por cesáreas com corte vertical no Japão.

Leia também:

Cesáreas no Japão

De acordo com a opinião da maioria dos médicos do Japão, as fibras musculares da barriga são verticais, e por isso, é mais correto que o corte siga esse sentido, diminuindo assim o sangramento.

Em reportagem recente, o médico obstetra Cleber Sato, autor do O Guia da Gravidez no Japão, conta que o corte longitudinal é praticado no Japão e em alguns países asiáticos por questões culturais: “As mulheres japonesas pensavam menos na estética do que as atuais”.

Principalmente, em situações de emergência ou de maior cuidado, o corte na vertical é bastante recomendado. Isso porque ele possibilita maior rapidez e facilidade para retirar o bebê do útero. Além de ser mais seguro para a mamãe e o recém-nascido.

De acordo com Sato: “O corte, sendo feito de forma vertical no abdômen, propicia menos sangramento, pois temos a chamada linha média unindo os músculos abdominais e as fáscias, que são como continuações dos músculos bem no meio da barriga”…

Mais questões culturais

O médico Cleber Sato cita ainda, que, para as mulheres japonesas de antigamente, não conseguir dar à luz de parto normal era visto como uma “fraqueza”. E a marca da cesárea um indicador de que ela foi “fraca”. Esse era mais um motivo que levava as mulheres japonesas a escondê-la.

No entanto, atualmente, muitas japonesas pensam diferente. As cicatrizes verticais aparecem mais, por isso, muitas mães querem escondê-la, fazendo tatuagens por cima ou usando maiôs.

As mães priorizam a segurança dela e do bebê, claro. Mas, nem todas ficam felizes com a cicatriz da cesárea (sendo vertical ou horizontal) e falam para seus médicos.

Ranking mundial de partos por cesárea

De acordo com o ranking mundial dos países com maior percentual de partos realizados por cesárea, da Organização Mundial da Saúde (OMS), entre os países asiáticos, o Japão é o que tem menor percentual:

  • Japão – 19,8%;
  • China, 25%;
  • Coreia do Sul – 36%.

Na China, 32% das cesárias são realizados a pedido da mãe, para que o bebê nasça em um dia escolhido. Para algumas crenças populares chinesas, certos dias e meses são mais auspiciosos.

No ranking mundial, o Brasil está em segundo lugar (55,6%). A campeã é a República Dominicana, com 56,4%. Depois, Egito (51,8%), Turquia (50,4%) e Irã (47,9%).

Gostou de conhecer mais uma curiosidade do Japão?

Fontes: Foto em destaque – Cena do filme Mitsuko Delivers (Hara Ga Kore Nande / ハラがコレなんで); BBC

Comentários

Share via