Japão registra maior índice de satisfação desde 1963

Segundo relatório do Inquérito Heisei 2017 com enquete sobre satisfação pessoal no Japão os resultados foram satisfatórios e animadores.

Realizada pelo governo do Japão, o Heisei registrou um aumento de 3,8% de satisfação pessoal em relação ao ano de 2016. O estudo foi realizado entre os dias 15 de junho a 2 de julho, com dez mil participantes maiores de 18 anos.

Resultados

73,9% da população japonesa está satisfeita com seu estilo e padrão de vida atualmente. Apenas 25% responderam com insatisfação. Em um país com uma das maiores taxas de suicídio, os resultados são animadores.

Leia também:

O índice de pessoas contentes com o valor do salário aumentou 3,2% em relação ao ano de 2016. O governo justificou o aumento, pois o Japão passa por uma gradual recuperação econômica.

Atualmente, existe uma grande flutuação inflacionária e o preço dos produtos acabam oscilando, porém as vendas aumentaram. O aumento está presente em todas as categorias do dia a dia, com itens na alimentação, bens, lazer, habitação e autodesenvolvimento.

Segundo o resultado da pesquisa 46,9% dos entrevistados não estão satisfeitos com a renda atual da família, são pessoas que ainda sentem o reflexo da crise econômica internacional.

Grande parte dos japoneses, 65,2%, afirmaram querer fazer uma leve mudança em sua vida. 23,1% aguardam que as coisas fiquem piores e apenas 9,4% são otimistas.

Quando questionados sobre qual ponto o governo deveria investir melhorias, 65,1% responderam segurança social, 51,1% disseram política econômica e 51,1% dos entrevistados mostraram preocupação com o envelhecimento da nação.

37,3 % dos entrevistados acham que o governo deve focar em questões de trabalho e leis trabalhistas, 36,2% responderam sobre defesa e segurança, estes índices são os mais altos desde 2001 e a alta se explica pelas tensões na península coreana.

*A enquete heisei possui questionários de múltipla escolha e permite mais de uma resposta.

Comentários

Share via