Japão sofre o 37º ano consecutivo de baixa taxa de natalidade e o povo japonês pode ser extinto

Os japoneses estão cientes da baixa taxa de natalidade e do seu atual destino, mas parece que ainda não há nenhuma solução para evitar o desastre iminente.

Leia também:

Baixa taxa de natalidade

O Japão luta há muito tempo contra sua baixa taxa de natalidade, embora não seja a pior do mundo, pois, Cingapura é a mais baixa. Mas, o país está longe de resolver este problema complexo que o atormenta há décadas.

O que torna a situação do Japão tão terrível é que ele também abriga a maior população mundial de pessoas idosas. E os próprios japoneses têm opiniões diversas sobre o por quê chegaram a essa situação. E o pior está por vir.

Pesquisa recente

A pesquisa mais recente sobre este problema, feita pelo Ministério de Assuntos Internos e Comunicações do Japão, revelou que, no dia 1º de abril de 2018, o número de crianças menores de 15 anos era estimado em 15,53 milhões (7,95 milhões de meninos e 7,58 milhões de meninas).

▼ Esse número pode parecer muito, mas na verdade é o mais baixo de todos os tempos na história japonesa.

2017 já registrou um recorde desesperadamente baixo de 15,7 milhões de crianças. Mas o número deste ano trouxe uma contagem ainda mais baixa. É um declínio constante há 37 anos desde 1982.

Além disso, a proporção de crianças para população total continuou caindo anualmente nos últimos 44 anos para os atuais 12,3%. A mais baixa desde 1975.

Tóquio foi a única prefeitura a experimentar uma elevação na população infantil. Além de ser um padrão que vem se repetindo nos últimos quatro anos consecutivos. Também, Okinawa tem a maior proporção de crianças, com 17,1 por cento, enquanto a Prefeitura de Akita ficou em 10,1 por cento.

▼ Então, o que será do Japão daqui a 50 anos?

Reações online

Chocados com a notícia e de frente com uma possível extinção, os internautas japoneses comunicaram suas queixas:

“Nossa taxa de natalidade declinante começou há mais de duas décadas, certo? E o país, não está motivado de forma alguma. As pessoas realmente incomodadas são as mais velhas, por isso não mudará”.

“Eles dizem para continuarmos a ter filhos, mas criar os filhos no Japão é muito difícil. Estou preocupada com os meus empréstimos estudantis, já que tenho que trabalhar para pagá-los. E se eu perder meu emprego, com um filho, quem vai pagar? Demora cerca de 20 anos para terminar o pagamento, e depois disso será tarde demais para uma gravidez. Ter filhos não condiz com a realidade”.

“Claro. Quase todos os japoneses precisam pagar imposto de renda, imposto municipal, pensão e pagamento de seguro de saúde. Se você não trabalha, a única opção que o país lhe dá é cometer suicídio. Não podemos ter o privilégio de ter filhos. Mais de 50% das pessoas comuns estão desesperadas”.

Atualmente, o Japão está experimentando as consequências de décadas de baixa taxa de natalidade, assim como sua força de trabalho que está envelhecendo. Como resultado disso, seus cidadãos estão sofrendo. Mas, o mais surpreendente é a falta de medidas amplas do governo para combater esse silencioso exterminador do país, e com as gerações posteriores passando por tempos mais difíceis do que a anterior.

Diante deste quadro, muitos japoneses pensam que a implementação de um Programa de Criação de Vistos não é uma ideia tão ruim.

Qual é a sua opinião?

Fontes: SoraNews24NHK News / Hachima Kiko / Pakutaso (12)

Share via