Yakuza agora está ameaçando os pepinos do mar do Japão

Quem precisa de drogas, jogos de azar ou prostituição quando há um mar cheio de ouro preto viscoso, na forma de pepinos do mar, para saquear? Confira!

Leia também:

Pepinos do mar

Esta é uma cena cada vez mais comum no Mar do Japão: no meio da noite, patrulhas da Guarda Costeira deparam com um navio suspeito que parece estar pescando.

Mas sempre que se aproximam do barco para uma abordagem, as potentes embarcações decolam em velocidades que a Guarda simplesmente não pode alcançar.

Acredita-se que esses navios pertençam à yakuza, em busca de pepinos-do-mar. Esse problema crescente fez, portanto, com que o governo nacional começasse a tomar medidas para restringir o comércio desses animais. Saiba mais!

Penas

Atualmente, a pena para a pesca furtiva de pepinos do mar é de no máximo seis meses de prisão. Além de uma multa de 10.000 ienes (US$ 91).

Isso já é o suficiente para afastar os pescadores solitários que buscam por dinheiro com o pepino do mar. Mas, dificilmente é o suficiente para fazer um membro da yakuza recuar.

No ano passado, um chefe da Yamaguchi-gumi foi processado por posse de 60 toneladas de pepino do mar. E foi obrigado a pagar 100 milhões de ienes (US$ 912.000).

Mais recentemente, cinco membros da Yamaguchi-gumi foram presos com 450 kg destas criaturas.

Mesmo assim, essas prisões são raras, pois os criminosos usam barcos mais rápidos do que os das autoridades. E mesmo que sejam capturados, podem simplesmente despejar as evidências no mar.

Lucra bem

De acordo com uma fonte próxima ao crime organizado, que falou com ao Shukan Bunshun, os pepinos do mar são uma fonte importante da receita da yakuza. Tão importante quanto o tráfico de anfetaminas.

Isso pode ser uma surpresa para os japoneses que usam pouco os pepinos do mar como um alimento.

▼ Para muitos japoneses, os pepinos do mar foram apenas uma “modinha” há alguns anos.

Na verdade, a maior parte dos lucros do pepino do mar do Japão vem do exterior. Acredita-se que há uma exportação marítima de 20 mil milhões de ienes (182 milhões de dólares). Logo atrás apenas dás pérolas e das vieiras, em termos de receita.

Isto ocorre graças a um aumento recente da demanda para a China, levando os preços, para o pepino do mar seco, a dispararem para dezenas de milhares de ienes por quilo.

Controle

O negócio é fácil pelo fato de que os pepinos do mar não são regulados como os outros tipos de frutos do mar.

O atum-rabilho, por exemplo, não pode ser exportado, a menos que a sua fonte seja verificada por uma associação da indústria pesqueira regional.

Portanto, em resposta à atual caça furtiva, o governo está considerando regras similares para os pepinos do mar.

Por enquanto, estes nobres equinodermes devem continuar a suportar esta imprudente sobrepesca de suas espécies.

Fontes: Shukan Bunshun / SoraNwes24Wikipedia/harum.koh

Comentários

Share via