Homem enlouquecido em uma konbini de Osaka lembra a cena do game “Yakuza”

Será que a vida imita a arte? Um homem em fúria dentro de uma konbini em Osaka faz internautas compará-lo a uma cena do game Yakuza. Dá uma conferida!

Leia também:

Game Yakuza?

Uma cena que remonta à série de games Yakuza (Ryu Go Gotoku) ocorreu em Osaka na semana passada. Isso porque, um jovem foi flagrado em um vídeo destruindo toda a mercadoria de uma loja de conveniência.

O incidente aconteceu na manhã de 20 de setembro, em uma konbini da rede Family Mart, perto da Estação Kongo, na cidade de Osakasayama.

O vídeo, postado pelo usuário do Twitter Tachiko (@ kouking0281 ), mostra um homem grande na parte de trás da loja quebrando garrafas, enquanto várias mulheres idosas assistem. Em outras partes da loja, algumas prateleiras foram derrubadas.

O site Afternoon News entrou em contato com a loja para perguntar por que o homem usou de violência contra a loja e seus produtos, mas eles se recusaram a comentar enquanto a investigação ainda está em andamento.

Enquanto isso, os internautas não puderam deixar de notar uma semelhança impressionante entre este incidente e uma característica do Yakuza 6, no qual os jogadores podem entrar para fazer compras, ou qualquer outro tipo de travessura, dentro de uma kobini chamada “Poppo”.

Reações online

“Assim como no Yakuza, não é?”
“Certamente é errado … mas eu imagino que é tão bom.”
“Alguém deveria contê-lo… nos braços!”
“Parece que alguém lhe pediu para checar sua idade.
“Ele é surpreendentemente bom em quebrar a loja. Não sei se eu conseguiria tanto antes de ser preso.”
“Ele deve ter praticado o Yakuza primeiro.”

De acordo com a simulação do game Yakuza (acima), a fim de escapar deste ato de vandalismo com impunidade, o suspeito em Osaka teria que sair, entrar em uma briga com cinco bandidos, entrar em um clube de mahjong, conversar com o gerente, sair, andar mais quatro quarteirões, depois voltar para a loja e tentar argumentar com o funcionário.

Depois, sair de novo batendo na placa de construção, pegar um táxi, andar cerca de cinco quarteirões de distância, andar de volta, comprar um refrigerante no caminho, em seguida pegar um caminho abandonado para entrar na loja mais uma vez. Mas, por sorte, parece que a realidade é bem diferente.

Fontes: Twitter/@kouking0281Afternoon NewsHachima Kiko / YouTube/DetectiveConan304

Comentários

Share via