Universidade de Kyoto oferece bolsa integral para pessoas com mais de 100 anos

Uma Universidade em Kyoto está oferecendo bolsas integrais para pessoas com mais de 100 anos de idade e descontos progressivos para quem tem mais de 50 anos. Mas, apesar da boa notícia, algumas reações online foram adversas. Confira!

Leia também:

Bolsa integral para os centenários

Já faz algum tempo que as instituições de ensino no Japão vêm sentindo a crise de sua sociedade em processo de envelhecimento. Isso inclui a queda do número de potenciais alunos que as frequentam.

Um dessas instituições é a Universidade de Hanazono, na cidade de Kyoto, uma modesta escola que oferece vários cursos de humanas e um corpo discente entre um e dois mil alunos.

No entanto, nos últimos anos, esta universidade tem lutado para conseguir mais de dez alunos em cada turma em seus exames de admissão.

Este é um cenário que pinta um futuro sombrio para as instituições de ensino superior. Então, em tempos difíceis como esses, é preciso se adaptar para sobreviver.

E Hanazono pegou o touro pelos chifres ao abrir a “100 Years of Learning Scholarship” (Bolsa de Estudos de Aprendizagem de 100 Anos), destinada a atrair a crescente população de pessoas com mais de 50 anos. Também, para preencher a lacuna deixada pelo número cada vez menor de estudantes jovens.

A bolsa funciona da seguinte forma: a década de sua idade corresponde à quantia a ser deduzida de sua mensalidade.

Por exemplo, se você tem 62 anos, um curso de graduação de quatro anos em literatura que custaria um aluno regular 3.184.000 ienes (US$ 28.600) ganha um desconto de 1.273.600 ienes (US$ 11.500). Isso equivale a 60% de desconto.

Da mesma forma, pessoas com 50 anos ganham 50% de desconto, 70 anos 70% e assim por diante. No final, qualquer pessoa com mais de 100 anos será elegível para ter bolsa de estudos integral. Mas apenas para os cursos de graduação.

Reações online

Mas, apesar da notícia soar como interessante e positiva, as reações online foram bem variadas. E parece que os jovens que leram a notícia ficaram menos contentes do que os idosos. Confira alguns comentários:

“Quem vai para a faculdade com 100 anos de idade?”
“Interessante. Você veria pessoas de todas as idades juntas na universidade.”
“Que tal preparar os jovens para ser o futuro do país e tudo mais?”
“A universidade será a responsável quando seus estudantes começam a falecer nela?”
“Uma universidade que não pode investir no futuro é inútil.”
“Sério, 20% de desconto para pessoas de 20 anos seria tão ruim?”

Os primeiros beneficiários da bolsa 100 Years of Learning iniciarão as aulas na próxima primavera. E o tempo dirá como isso afetará a Universidade de Hanazono.

Enquanto baixar a mensalidade para todos teria apaziguado as vozes insatisfeitas na Internet, provavelmente só teria acelerado a morte da pequena universidade. Pois os números simplesmente não compensam para isso.

Assim como levar pessoas com mais de 50 anos para estudar ciências sociais ou história do Japão também pode não ser uma garantia de sucesso. Mas apenas as universidades que se adaptam à sociedade podem sobreviver.

E a chamada para as bolsas de estudo da Universidade Hanazono encoraja seus candidatos dizendo: “Se você mudar a si mesmo, você muda o mundo”. Talvez, ela esteja falando para si também.

Fontes: Asahi ShimbunReseMomHachima Kiko / Wikipedia/Blancoyrojo / Wikipedia/Blancoyrojo e SoraNews24

Share via