Uchi-Soto explica como os japoneses costumam se relacionar

Uchi-Soto é uma tradição da sociedade japonesa desenvolvido durante o Período Edo que carrega um conceito singular sobre o lugar do indivíduo nas suas relações.

Uchi-Soto

Embora essa cultura venha se deteriorando conforme a sociedade muda, o uchi-soto ainda é muito presente e molda a forma como as pessoas japonesas interagem entre si.

Estrangeiros residentes no Japão ou mesmo turistas vivenciam esse conceito constantemente mesmo sem saber.

Por exemplo, estrangeiros são soto (外), ou seja, de fora. Por sua vez os japoneses são uchi (内), os de dentro. Porém, essa tradição não se limita apenas a estrangeiros e japoneses.

Esse conceito está presente dentro da família, círculos de amizade e relações de trabalho dos japoneses também.

O japonês casual e o Keigo

Imagem de Keigo

A nação japonesa é mundialmente famosa por sua educação. Além disso, o Japão tem um dos atendimentos de mais qualidade.

Isso está ligado diretamente com o conceito de uchi-soto. A educação e a formalidade com pessoas de fora, ou seja, soto, são uma premissa dessa etiqueta.

Por exemplo, os clientes de uma empresa também são considerados soto por não pertencerem aquele grupo (a empresa).

A forma educada e humilde que os japoneses falam com pessoas de fora é a linguagem Keigo. Uma maneira formal de tratar pessoas de fora dos círculos sociais, como trabalho e família.

É a forma de tratar alguém sem intimidade com respeito. além disso, essa linguagem não dá abertura para expressões mais profundas.

Por sua vez, a linguagem informal é ultiizada apenas entre os considerados de dentro (uchi).

Dentro das famílias

Família japonesa sentada no sofá

Durante milênios as famílias japonesas viviam juntas até o fim de suas vidas. Porém essa ideia de clã foi desaparecendo conforme a modernização do Japão.

Atualmente, a ideia de uchi-soto dentro das famílias é muito menor do que no passado. Eram épocas quando a figura de chefe ou líder do clã era respeitada e temida por todos os membros.

Apesar de ainda existir o respeito das hierarquias familiares, a própria noção de família japonesa mudou radicalmente depois da segunda guerra mundial.

Antigamente elas tinham hierarquia entre os uchi de acordo com a proximidade da família considerada principal.

Nos dias de hoje, a maioria das pessoas no Japão querem viver sozinhas e de forma independente.

Portanto, não costuma existir mais a ideia de unir várias famílias dentro de um clã. Elas ficam limitadas ao pai, mãe e filhos apenas.

Uchi-Soto na vida profissional

Salarymans conversando

Utilizar o japonês casual no mundo dos negócios é considerado como um ato rude dentro da sociedade japonesa.

Normalmente esse tipo de linguagem é reservada aos colegas de trabalho. Porém, os superiores devem ser tratados como alguém de fora, isto é, soto.

Como em qualquer país, os superiores não costumam fazer parte do círculo social dos empregados comuns. Eles só são tratados como uchi no caso de interação com outras empresas ou clientes.

Leia também

Motivos dos japoneses sugarem e fazer barulho ao comer ramen 

Inemuri: motivos que fazem dormir em público ser bem aceito 

Kenpai: regras de etiqueta e cultura da bebida no Japão 

Uchi-Soto nas relações

Em todas as relações humanas do Japão o uchi-soto é encontrado. Nas escolas, com os grupos diferentes de amizades, nas tribos urbanas e nas diferentes regiões do país.

Por exemplo, quando alguém é muito educado e polido com outra pessoa no Japão, é um sinal de que aquele indivíduo não faz parte do uchi de suas relações.

Talvez, você já viu em algum filme ou animação japonesa, algum personagem reclamando sobre a formalidade e educação como algo negativo.

Essa reclamação significa que a pessoa gostaria de se aproximar da outra e fazer parte do uchi e não do soto.

Compartilhe! Clique aqui e receba nosso conteúdo exclusivo pelo Facebook Messenger.

Comentários

Share via