Tratado de Kanagawa: saiba como foi a abertura do Japão

O tratado de Kanagawa de 1854 acabou com mais de 200 anos de isolamento (período Sakoku) do Japão.

Desde o período Sakoku, apenas os holandeses eram permitidos na ilha artificial de Dejima em Nagasaki. Em 1853 tudo mudou quando uma esquadra dos EUA ancorou na baía de Edo.

Estados Unidos e sua tentativa

Navios americanos

Embora os EUA tenham começado seu processo de industrialização depois da Europa, o país se tornou uma grande potência e com uma larga escala produtiva graças a seu tamanho.

Para continuar avançando sobre os mercados do Pacífico, o presidente dos EUA, Millard Fillmore, enviou o Comodoro Matthew C. Perry para forçar a abertura comercial com o Japão.

Matthew Calbraith Perry
Matthew Calbraith Perry

Naquele tempo, os navios baleeiros americanos que operavam no Pacífico tentavam se aproximar dos portos japoneses para se abastecerem.

No entanto, os japoneses resistiam em atender as necessidades da tripulação. A missão do comodoro era dissuadir os governantes do Japão a abrirem seus portos e mercados aos EUA.

Apesar de Matthew ter participado da guerra de 1812 entre EUA e Inglaterra no golfo do México, seus métodos eram muito mais diplomáticos do que se esperava de um veterano.

De acordo com a história, antes de embarcar ao Japão, Matthew leu todos os livros e informações disponíveis sobre o país.

Embora tenha partido com uma esquadra militar moderna, o objetivo do comodoro era somente a demonstração de força.

Primeiros contatos

No dia 8 de julho de 1853 a esquadra dos EUA comandada pelo comodoro Matthew C. Perry aportou na baía Edo.

Os japoneses não sabiam exatamente como os governantes japoneses reagiriam a visita do oficial americano. No entanto, o encontro foi respeitoso e amigável.

Matthew trazia consigo uma carta escrita pelo presidente dos EUA Millard Fillmore com uma solicitação de amizade, relações diplomáticas e comerciais com governo do Japão.

A princípio o shogunato rejeitou a proposta dos EUA. No entanto, Matthew prometeu voltar no ano seguinte com ainda mais navios de guerra.

Duas coisas pesaram na decisão posterior dos governantes japoneses. A primeira foi o fato do comodoro Matthew não ter exercido pressão sobre eles.

A segunda foi a preocupação com a máquina militar dos EUA. Aqueles navios de guerra eram movidos a vapor e se mostraram uma séria ameaça ao Japão.

Tratado de Kanagawa

Assinatura do acordo

Como havia prometido, o comodoro Perry retornou ao Japão com mais navios de guerras em sua armada.

Nesse segundo encontro entre oficiais, os japoneses estavam mais receptivos e finalmente assinaram um acordo.

Acordo Kanagawa

Perry levou presentes aos oficiais japoneses, como whisky, equipamentos agrícolas modernos, um modelo miniatura de uma locomotiva a vapor e livros de autores estadunidenses.

Embora o acordo de comércio entre Japão e EUA assinado em 31 de março de 1854 fosse muito limitado para as partes, foi o primeiro acordo internacional moderno do Japão.

Os oficiais do governo japonês sabiam que era só uma questão de tempo até que outras potências ocidentais fossem ao país para ratificarem acordos semelhantes.

Leia também

Burakumin: japoneses excluídos das classes sociais da era feudal 

Descubra quem foi Ninomiya Sontoku (Kinjiro Ninomiya) 

Dejima: conheça ahistória da ilha artificial de Nagasaki 

Foi o início do fim do período Sakoku e o começo de uma nova era para o Japão. Além da rápida modernização e industrialização do país durante a Restauração Meiji, a vitória sobre o Império Russo em 1905 consagrou o Japão como um Império no cenário internacional.

Compartilhe! Clique aqui e receba nosso conteúdo exclusivo pelo Facebook Messenger.

Comentários

Share via