Nomikai: cultura da bebida no trabalho entra em declínio

Nomikai, a cultura da bebida com os colegas de trabalho após o expediente é um excelente exemplo sobre como o álcool está enraizado nas relações entre as pessoas no Japão.

Essa raiz pode ser compreendida como “nommunication”. A palavra utiliza o termo japonês nomu (飲む) que pode ser traduzido como beber e a palavra inglesa para comunicação (communication).

A nommunication dentro da ideia de nomikai significa em outras palavras uma forma de socialização entre superiores e seus subordinados.

Como a cultura de trabalho no Japão é muito rígida e ainda espera uma dedicação de fidelidade, lealdade e entra dos trabalhadores, é nos nomikai onde há o escape do estresse e da ideia de pertencimento a “família empresarial”.

Cultura em decadência

Bebida após o expediente

Nem todas as culturas são consideradas boas. Talvez, elas fizessem sentido séculos atrás, no entanto, a máxima de Buddha Sakyamuni se mantém como verdade indiscutível: tudo muda.

E por maior que sejam os esforços para preservá-la, nem sempre é compatível com os paradigmas e complexidades da vida social de cada geração.

Afinal, o século XXI será lembrado pela globalização, pela informação e troca. O Japão de hoje é muito mais ocidentalizado do que o Japão da era Meiji, por exemplo.

E as tendências de moda, estilo de vida, valores e princípios das gerações conhecidas como millenials ou geração Y (1981 à 1995) e a geração Z (1996 à 2012) são partilhadas e compartilhadas na internet e rede sociais.

Por isso, muitos jovens japoneses estão se sentindo mais confortáveis para negar a participação de festas nomikai e outras celebrações tradicionais envolvendo bebidas alcóolicas.

Ao menos essa é a leitura de Gen Otsuki da All Nippon Abstinence Association, um grupo para dependentes alcóolicos do Japão em entrevista ao portal alemão DW.

A força do não

Segundo Otsuki, não é fácil mudar a cultura da bebida após o expediente de trabalho, pois foram anos construindo essa tradição.

Aqueles que hoje ocupam cargos de superiores e gerentes viveram em uma época onde era perfeitamente normal e esperado que os trabalhadores bebessem após o trabalho.

pessoa constranginda em beber

Além disso, eles aprenderam não apenas o hábito de beber, como também reproduzem a pressão que sentiram em suas épocas de subordinados.

Em outras palavras, beber com os colegas de trabalho após o expediente é tão normal e óbvio, quanto o próprio trabalho em si.

Membro de um grupo de dependentes químicos (álcool), Gen Otsuki assistiu uma redução no número de pessoas pedindo ajuda nos últimos anos.

Embora considere a possibilidade da falta de dinheiro para beber como um fator, não descarta as mudanças na sociedade japonesa como maior envolvimento afetivo na vida familiar e a individualidade de se dar ao direito de dizer não.

Outros estímulos

Copo de bebida alcóolica

Além dos motivos citados acima, os Alcóolicos Anônimos do Japão também afirmam que muita coisa mudou a partir de 2007.

Naquele ano, o governo japonês endureceu a lei similar a Lei Seca do Brasil. Ter mais de 0% de álcool no sangue pode resultar em multas de mais de U$ 8.700,00 e até cinco anos de prisão.

Além do motorista, se algum passageiro estiver consumindo bebidas alcóolicas, o valor é de U$ 5.000,00 e três anos de prisão.

Com essa mudança na legislação, empresas de bebidas do Japão começaram em investir em cervejas e outras bebidas sem álcool, como uma alternativa.

Isso facilitou uma transição de hábito entre muitas pessoas que não gostariam de consumir álcool, mas apreciam a companhia dos amigos e colegas de trabalho.

Os malefícios do álcool

Apesar do álcool ser uma droga socialmente aceita, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), é a quinta droga mais perigosa do mundo. Em 2018, foi responsável por uma em cada 20 mortes no mundo.

O que torna as bebidas alcóolicas tão perigosas é a sua acessibilidade. Afinal, a oferta no mercado é imensa.

Além disso, o consumo excessivo de bebidas alcóolicas agravam casos de depressão. Para além, o consumo também está ligado a inúmeros casos de mortes violentas, violência doméstica e acidentes de trânsito. Ou seja, afeta tanto o usuário, quanto pessoas ao seu redor.

Queda de produtividade

Salarymen caído em transporte público

Não é incomum ver alguma fotografia de salarymen no Japão largado na rua ou em transporte público depois de um nomikai.

Esse hábito é considerado nocivo tanto para quem bebe, quanto para as empresas. Afinal, o Japão é uma das nações com a maior carga horária de trabalho do mundo.

Então, quando um trabalhador consome muita bebida após o expediente, perde tempo de descanso.

Além disso, a ressaca e o cansaço no dia seguinte são consequências naturais do abuso do corpo. Ou seja, a produtividade do profissional no dia seguinte será muito menor.

Leia também

Kanpai: regras de etiqueta e cultura da bebida no Japão 

Kanpai: curiosidades sobre o tradicional brinde japonês 

Enkai: conheça os tipos de festas de firma do Japão 

Muita coisa mudou na sociedade japonesa nas últimas décadas. Hoje em dia, as gerações mais novas estão mais preocupadas com sua saúde e bem estar.

Por isso, aos poucos a obrigatoriedade em comparecer em uma festa de empresa está se tornando cada vez mais facultativo.

Apesar da cultura da bebida no Japão ainda ser muito presente no cotidiano do país já é possível ver rachaduras nessa estrutura que afetarão a cultura do trabalho nas próximas gerações.

Compartilhe! Clique aqui e receba nosso conteúdo exclusivo pelo Facebook Messenger.

Comentários

Share via