Dispositivo detecta 13 tipos de câncer no Japão com uma gota de sangue

O dispositivo é da Toshiba e com uma única gota de sangue é possível detectar 13 tipos de câncer no Japão. Isso ajudará na prevenção da doença em estágio zero com diagnósticos mais rápidos.

Gota de sangue em análise laboratorial

A acuração é de 99% e o resultado sai em menos de duas horas. A empresa conduzirá experimentos em 2020 para disponibilizar a tecnologia daqui a alguns anos.

A Toshiba se juntou com a Tokyo Medical University e o Centro Nacional do Câncer para conduzir os experimentos.

A detecção acontece por conseguir medir a concentração de microRNA que são liberadas pelas células cancerígenas com um dispositivo.

Aparelho de detecção de câncer da Toshiba

O teste servirá para detectar câncer de intestino, mama, próstata, pâncreas, fígado, pulmão, estômago, esôfago, bile, ovário, bexiga, além de sarcoma e glioma.

Já existem testes disponíveis no Japão para detectar câncer através do sangue, mas o diferencial da empresa fica por conta da rapidez dos resultados e assertividade.

Além disso, os cientistas buscam deixar a tecnologia acessível para custar menos que 20.000 ienes e será mais barato que os testes feitos por detecção de imagens atuais.

Atualmente é muito difícil detectar câncer em estágios iniciais, pois muitas vezes eles não são visíveis em exames que dependem de critérios visuais.

Leia também

Tecnologia promete detectar câncer de mama sem dor e mais rápido 

Segunda pele com display promete revolucionar medicina no Japão

Diálise no Japão: pesquisadores desenvolvem máquina portátil 

Cãncer no Japão

O câncer no Japão ainda é um dos maiores causadores de morte, junto com a pneumonia e doenças do coração, segundo dados do Ministério da Saúde, Trabalho e Bem Estar de 2017.

Em 2016, 372, 986 pessoas morreram e foi responsável por 28.5% dos óbitos. Além disso, as mulheres foram as maiores vítimas com taxa de 80% em idade entre 20 a 39 anos.

Compartilhe! Clique aqui e receba nosso conteúdo exclusivo pelo Facebook Messenger.

Comentários

Share via