Conheça a história das mulheres samurais

A sociedade japonesa até os dias atuais têm uma forte hierarquia patriarcal, a história dos grandes feitos em todo mundo é sempre narrado na perspectiva masculina, por isso, não é muito comum ouvir falar de mulheres samurais.

Porém, elas exerceram grande papel no período do Japão feudal e foram decisivas nas batalhas.

Onna Bugeishas

As mulheres samurais, chamadas de Onna Bugeishas, lutavam batalhas defensivas, protegendo castelos e vilas, porém, não era incomum encontrar mulheres na linha de frente, com honra ao lado de homens.

Arqueólogos já encontraram em escavações, evidências de mulheres no campo de batalha.

Batalha de Senbon Matsubaru

Testes de DNA em 105 corpos revelaram que 35 eram femininos. Em duas outras escavações, o resultado foi semelhante.

As Onna Bugeisha, além de exímias guerreiras, eram educadas em ciências, matemática e literatura.

Armas e habilidades

Armas de mulheres samurais

O treinamento de armas das Onna Bugeishas chamava arte da Naginata, destinado para combates em locais abertos.

Suas armas eram conhecidas, como Ko-Naginata, uma versão menor das usadas pelos homens, a O-Naginata, foi desenvolvida para melhorar o balanço e dar mais velocidade e força.

Outra arma que elas utilizavam era a adaga Kaiken, utilizada para combates em espaços pequenos e fechados, também utilizado para autodefesa. Outa característica da Kaiken era servir para o ritual de Seppuku.

Além das armas, as mulheres samurais treinavam Tantōjutsu, um sistema de luta tradicional do Japão e praticado até os dias atuais.

Treinadas profissionalmente por alguma figura patriarca, elas eram preparadas para proteger a si e a família durante qualquer ataque.

Leia também:

Imperatriz Jungu Kogo

Jungu Kogo

A imperatriz Jungu Kogo, foi uma guerreira que não só liderou, como organizou e planejou a conquista da Coréia, no ano 200 D.C.

Tomoe Gozen

Tomoe Gozen

Tomoe Gozen foi uma samurai excepcional, uma mulher muito bela, intelectual e com habilidades de batalha inquestionáveis.

Exímia arqueira e amazona, mestra com a Katana e uma competente política. Os mestres do clã de Minamoto afirmavam, que Tomoe Gozen, foi a primeira verdadeira general do Japão.

Gozen, provou suas habilidades de combates em muitas ocasiões, em uma delas, liderou 300 samurais contra mais de 2000 guerreiros e foi uma dos 5 sobreviventes da batalha.

Em 1184, na batalha de Awazu, venceu e decapitou Honda no Moroshige, um famoso guerreiro do clã Musashi.

Hangaku Gozen

Hangaku Gozen

Outra guerreira fenomenal foi Hangaku Gozen, uma bela e habilidosa comandante que liderou mais de 3 mil homens na defesa do forte Torisakayama, ao lado de seu sobrinho Jo Sukemori.

Nessa ocasião, Hojo, seu oponente, contava com uma força de mais de 10 mil homens, até o forte ser invadido.

Durante a batalha Hangaku foi ferida, mesmo assim, montada em um cavalo e armada com sua ko-naginata, lutou com ferocidade.

Nanako Takeko

Nanako Takeko

No final do século 18, houve uma guerra entra o clã Tokugawa e os membros da Corte Imperial.

Nanako Takeko, era muito habilidosa com a ko-naginata, extremamente inteligente e mestra nas artes marciais. Ao assumir o comando da nova força de combate de Onna Bugeishas, se juntou aos samurais na batalha.

Seu exército foi chamado de Joshitai. Takeko, morreu em batalha com um tiro no coração, antes de morrer, matou a maior quantidade de inimigos com sua ko-naginata.

Monumento para Nanako

Sua irmã, Nanako Yuko decapitou sua cabeça, para que o inimigo não a levasse como troféu. A cabeça está enterrada nas raízes de um pinheiro, no templo Aizu Bangemachi e um monumento foi construído em sua homenagem.

Durante o período Sengoku, a imagem das guerreiras mudou bastante, dando lugar ao status das mulheres conhecidas nos dias atuais.

As Onna Bugeishas acabaram por se tornar apenas esposas de nobres, generais e lordes da guerra. Os samurais se tornaram simples burocratas na hierarquia do império.

Comentários

Share via