Mitsuyo Maeda – Conheça a história do nipo-brasileiro precursor do Brazilian Jiu-Jitsu

Mitsuyo Maeda, foi um dos 5 maiores judocas, arte marcial criada por Kano Jigoro. O judô (caminho suave) foi a primeira arte marcial japonesa a receber prestígio internacional. Conheça mais sobre a história de um dos precursores do jiu-jitsu no Brasil.

Kodokan

Mitsuyo Maeda

Conhecido como Conde Koma, apelido obtido na Espanha, Mitsuyo Maeda, nasceu em 18 de novembro de 1878, em Aomori.

Aos 16 anos de idade, Maeda mudou para Tóquio, na capital japonesa e matriculou-se na Kodokan, Instituto (kan) do Caminho (do) da Fraternidade (ko), escola fundada em 1882 por Kano Jigoro, também responsável por reformar o jujutsu (arte que vinha em declínio).

No ano de 1904, Jigoro sugeriu a Maeda que fosse aos EUA para divulgar o judô. Conde Kano, deixou o Japão para realizar demonstrações nos EUA e ao redor do mundo, aceitou diversos desafios de lutadores de box, wrestling, luta livre e outras artes marciais.

Pequeno grande lutador

Mitsuyo Maeda, tinha apenas 1,66 metros de altura, porém, lutou mais de 500 vezes, divulgando o judô contra adversários muito maiores e mais fortes que ele.

As técnicas da arte judoca são muito refinadas e dão condições de qualquer pessoa enfrentar qualquer oponente.

Isso foi muito importante para a propagação do judô e do jiu-jitsu, ambas extremamente eficientes e eficazes em defesa pessoal.

Leia também:

Maeda e Gracie

Em novembro de 1914, Maeda chegou ao Brasil no estado do Pará. Gastão Gracie, um influente homem de negócios e sócio do American Circus em Belém, o ajudou a se estabelecer no país.

Com o tempo, Maeda e Gastão tornaram-se grandes amigos. Durante uma apresentação de judô no Teatro da Paz em Belém do Pará, o filho mais velho de Gastão, Carlos Gracie, ficou encantado com o judô e Maeda o aceitou como discípulo.

Em 1921, após a família Gracie ter mudado para o Rio de Janeiro, Conde Koma finalmente abriu uma academia em Belém do Pará, a escola pioneira do esporte no Brasil, já em 1930, se naturalizou no Brasil e mudou seu nome para Otávio Maeda.

Maeda, passou o resto de sua vida no Belém do Pará ensinando o judô em sua academia. Após sua morte em 28 de dezembro de 1941, a academia Conde Koma Judô clube ficou aos cuidados de seus 2 maiores discípulos, Sebastião Oli e Nakasan.

BJJ – O legado de Otávio Maeda

Legado jiu-jitsu
Família Gracie

Carlos Gracie, treinou dos 14 aos 17 anos de idade, como discípulo de Conde Koma. Os ensinamentos ajudaram Gracie a formular o Brazilian Jiu-Jitsu.

Carlos, ensinou a arte aos seus irmãos, posteriormente, abriram uma academia de Jiu (suave) Jitsu (arte) no Rio de Janeiro.

O irmão mais novo de Carlos, Hélio Gracie, era um jovem fraco e com saúde debilitada, por sua condição física não permitir que ele treinasse, observava as aulas dos seus irmãos.

Após muitas observações e muita vontade de praticar a arte, Hélio Gracie, começou a desenvolver mentalmente um sistema de alavancas.

Um dia, Carlos não pode dar aula e Hélio, em segredo, deu aula no lugar de seu irmão. Suas observações e seu novo sistema de alavancas fizeram tanto sucesso que ele se tornou o principal professor.

Hoje, o Brazilian Jiu-Jitsu é uma das artes marciais mais populares do mundo, em Abu Dhabi, por exemplo, a arte é obrigatória.

Jiu-Jitsu ou Jujutsu é um caminho para encontrar a harmonia entre o corpo e a mente, considerado como xadrez humano, a arte inspira respeito, disciplina e emprenho dentro e fora do Dojo. Oss!

Share via