Cidade de Yamato cria programa para ajudar idosos solitários no Japão

Chegar em uma idade avançada no Japão é menos glorioso do que se imagina. Afinal, muitos idosos não têm parentes para contar ou renda para se manter, por isso, o governo municipal de Yamato criou um programa para auxiliar essas pessoas.

Yamato

A cidade de Yamato fica na província de Kanagawa e possui uma população de aproximadamente 230 mil pessoas.

O envelhecimento de grande parte de sua população é um problema atual. Muitos idosos sem parentes e amigos acabam morrendo sozinhos e debilitados. Por isso a prefeitura passou a oferecer um serviço para ajudar a população idosa da cidade.

O serviço foi inaugurado em 2016 e previa uma ajuda de custo de até 206 mil ienes para cobrir as despesas funerárias e legais de cada cidadão sênior, com toda a parte burocrática feita.

Há também outros cuidados inclusos. Por exemplo, se o idoso vive sozinho, um funcionário do governo realiza visitas esporádicas.

O programa da prefeitura  de Yamato gerou reações positivas em outras cidades japoneses. Em Chiba, por exemplo, criou uma parceria com a empresa Aeon Life Co. para atender sua população sênior com os preparativos fúnebres.

Afinal, a maioria das cidades e das famílias japonesas enfrentam os mesmos problemas, com falta de asilos e investimento público para a terceira idade japonesa.

Além disso, no Japão, é papel da família cuidar de seus idosos, porém, as diversas mudanças na sociedade no pós-guerra (econômicas, sociais e trabalhistas) dificultaram manter o núcleo familiar tradicional.

Leia também

Japão: Homem de 81 anos pulou no rio para salvar mulher de 86 anos que se afogava

Morte solitária: a dura realidade dos idosos no Japão

Não querem dar trabalho

Também há idosos com família, mas não querem dar trabalho para ninguém, por isso, a alternativa oferecida por cidades como Yamato, Chiba e Yokosuka é a opção mais independente.

É importante ressaltar que nem tudo é gratuito, há contratos que podem chegar ao valor de 100 mil ienes, mesmo assim, já é uma grande ajuda para quem provavelmente está sozinho.

Fonte: Japan Times

Comentários

Share via