Cidadã local tenta fazer justiça com as próprias mãos e pega o corvo que tentou comprar uma passagem de trem, mas fica em apuros com as autoridades.

Leia também:

Corvo “tenta comprar” uma passagem de trem com cartão de crédito em uma máquina 【vídeo】

O corvo que tentou comprar uma passagem de trem – parte 2

Atendendo duas linhas de trem e uma linha de metrô, a Estação Kinshicho de Tokyo é diariamente frequentada por muitas pessoas. Mas nas últimas semanas, os passageiros ganharam mais uma companhia. Trata-se de um corvo que, sem nenhum dinheiro, roubou um cartão de crédito de uma passageira humana na tentativa de comprar sua própria passagem.

Após o popular acontecimento, que foi divulgado em um vídeo, o corvo novamente roubou o cartão de uma pessoa. Mas desta vez, em vez de colocá-lo na máquina de bilhetes, jogou-o no teto de um táxi nas proximidades.

No entanto, no início desta semana, o “corvo da passagem”, como ficou conhecido, foi capturado. Assim como mostra as fotos twittadas pelo usuário japonês do Twitter  @yuruhuwa_kdenpa.

Porém, não foram os policiais de controle de animais que pegaram o pássaro, mas sim uma mulher que mora na área. Vendo o corvo passeando em torno da Estação Kinshicho, a mulher sentiu que ele seria mais feliz em um ambiente mais natural do que no centro de Tokyo. Então, assumiu a tarefa de capturá-lo.

A mulher planejava cuidar dele por um mês ou mais, para ter certeza de que ele estaria em boa saúde. Depois, ela iria “levá-lo para as montanhas, onde o ar é limpo, e libertá-lo”. E ainda, ela, possivelmente, o levaria para Prefeitura de Nagano, o local escolhido para ser seu novo lar.

Contra a lei

No entanto, o corvo que tentou comprar uma passagem de trem acabou em uma gaiola. E a mulher que o capturou ficou em apuros com a lei. Ela não pegou o corvo porque seus métodos eram mais eficazes do que os funcionários da estação. Mas sim, porque os trabalhadores das estradas de ferro não estavam realmente tentando pegá-lo.

A captura de corvos sem autorização legal é uma violação da Lei de Conservação e Gestão da Vida Selvagem. E tem pena de até um ano de prisão ou multa de um milhão de ienes (US$ 9.300).

Uma vez que nenhuma permissão para capturar o corvo havia sido transmitida pelo Governo Metropolitano de Tokyo, os trabalhadores da estação simplesmente ficavam de olho nele sempre que aparecia.

▼ Estação Kinshicho

Corvo urbano

Além do mais, levar o pássaro para a natureza pode não trazer benefício nenhum para o bicho. Isso porque, ele parece ter se adaptado no ambiente urbano. O animal estocava migalhas de pão em um arbusto. Além de exibir sua inteligência e retenção da memória, característicos dos corvos, ele parecia até se lembrar de um humano amistoso que frequentemente passava pela estação. Ele o seguia até ganhar um pedaço de salsicha ou carne.

O professor de biologia da Universidade de Utsunomiya, Shoei Sugita, acredita que o corvo foi “muito provavelmente” mantido como um animal de estimação em algum momento de sua vida. Pois parece sentir-se bem à vontade com os humanos, e até fica, ocasionalmente, empoleirado no braço ou ombros de quem confia, como algumas pessoas na área.

Seu interesse por cartões de crédito vem da atração que essas aves têm por objetos brilhantes ou reflexivos. O professor de direito, Hiroshi Higuchi, da Universidade de Tokyo, também tem dúvidas sobre a habilidade do corvo em encontrar seu próprio alimento na natureza. Ele disse: “Se ele está acostumado a ser alimentado, mesmo que você o solte em um ambiente natural, ele irá procurar uma comunidade humana rural próxima para viver”.

O destino do corvo

As autoridades ainda não disseram se pretendem fazer acusações contra a mulher que pegou o corvo. E mesmo se o fizerem, a pena provavelmente será leve, já que ela não pretendia causar nenhum mal ao animal e estava ciente de estar fazendo algo ilegal.

Quanto ao corvo que tentou comprar uma passagem de trem, agora seu destino está nas mãos do controle animal. Mas parece que ele não será expulso de Tokyo por enquanto.

Este corvo está ficando bem famoso. Vocês não acham?

Curta nossa página no Facebook
(Não aperte o botão se você já curtiu)

Comentários

comentários