Ficou mais fácil morar com visto de longa permanência no Japão, descubra se você se encaixa

Ficou mais fácil morar com visto de longa permanência no Japão, descubra se você se encaixa

Aos poucos, morar no Japão com visto de longa permanência fica mais descomplicado para algumas pessoas. De acordo com a nova lei aprovada e efetiva desde março de 2018, profissionais estrangeiros altamente qualificados e com salário alto terão mais facilidades nesse processo.

Pessoas com formações múltiplas deverão esperar apenas por um ano para se aplicarem a ter residência permanente no Japão.

Requisitos

Quem quiser se candidatar e se encaixar nesse perfil deverá apresentar o passaporte, preencher o formulário de aplicação, uma fotografia e certificado de elegibilidade (COE).

Certificado de elegibilidade

O certificado de elegibilidade é um pouco mais trabalhoso de conseguir, segundo o periódico Independent. Ele é o documento que provará que você terá condições de se sustentar no Japão.

Leia também

Visto para yonsei será liberado em julho

Ficou doente no Japão? Saiba onde ir e o que fazer

Como naturalizar e se tornar um cidadão japonês

A quantidade mínima do salário para ser elegível deverá ser de U$ 1,600 (R$ 5.978,24*) mensais. Existem duas possibilidades para conseguir esse certificado, uma é ser o empregado sortudo que ganhe essa quantia ou ser a esposa ou filho/a.

Se você se encaixa nesse padrão não se preocupe, geralmente o empregador poderá resolver o COE e as burocracias.

Além disso, a pessoa deverá ser altamente qualificado e com múltiplas formações, ou seja, não adianta ter apenas um bacharelado.

Ainda segundo o Japan Times, desde 2012 existe uma tabela de pontuações que definem o tempo de espera para tirar o visto de longa permanência para trabalhadores altamente qualificados.

O que mudou com essa nova lei foi o tempo de espera para quem fizer no mínimo 80 pontos ou mais. A tabela leva em consideração formação acadêmica, idade, salário, proficiência da língua japonesa, tempo de carreira, atuação acadêmica, entre outros.

Para conferir a tabela, acesse o site do governo japonês, clique aqui.

*Cotação realizada pelo site do Banco Central no dia 31/05/2018*

Fonte: Independent e Japan Times

Crédito imagem principal: Satoko Kawasaki

Share via