Kazuo Taoka: Yakuza conhecido como urso foi o poderoso chefão do Japão

Kazuo Taoka foi o terceiro oyabun da Yamaguchi-gumi e responsável pela ascensão e crescimento da Yakuza no Japão. Seu legado pode ser visto até hoje e era conhecido como Kuma (urso) por suas técnicas de assassinato.

Kazuo Taoka

Kazuo Takaoka
Kazuo Taoka no centro.

Foi o padrinho dos padrinhos ou como chamamos no ocidente: poderoso chefão. Liderou a Yamaguchi-gumi entre 1946 a 1981.

Seu pulso firme, eficiência e sucesso, além dos métodos para castigar seus inimigos o fez ficar conhecido dentro e fora da organização mafiosa japonesa.

Infância no crime

Nasceu em 28 de março de 1913, Kobe em uma pequena aldeia. Taoka era órfão e entrou para a vida do crime muito cedo já que fazia parte da sociedade marginalizada.

Sua família já era muito pobre e moravam em Shikoku. Seu pai morreu depois que Taoka nasceu e sua mãe faleceu de tanto trabalhar no campo quando tinha cinco anos de idade. Os agricultores da região eram forçados a trabalhar da manhã ao anoitecer.

Criado por parentes, abandonou a escola aos dez anos de idade. Adolescente fez seu caminho de entrada para a Yamaguchi-gumi e foi crescendo com seus talentos para o crime. Foi preso em 1936 e ficou oito anos detido por conta de um assassinato.

Já falamos aqui da rigidez das prisões japonesas em um artigo, mas o ambiente não contribuiu para Kazuo Taoka se reintegrar a sociedade.

Ascensão ao poder

Depois de solto em 1943, ele voltou a Yakuza, que estava enfraquecida e sofria com poucos membros. Na época, segundo relatos de periódicos, o número não passava de 25 integrantes por conta da Segunda Guerra Mundial.

Quando o oyabun Noburu Yamaguchi, 33 anos, faleceu, ele assumiu o cargo e passou a fazer mudanças na estrutura e nos métodos da Yakuza.

Entre seus métodos estava tomar poder de pequenas organizações criminosas atuantes no Japão.

Domínio criminal

Aos poucos foi derrotando seus inimigos e concorrentes com violência e extremismo. Tomou conta de quem controlava as apostas em Kobe e depois partiu para Osaka e outros locais.

Monopolizou o crime organizado e montou uma linha operante de alianças por quase todo o Japão. A Yakuza passou a operar com extorsão, apostas, prostituição, golpes, contrabando, empréstimos, política e entretenimento.

Além disso, entrou no ramo dos negócios com empresas legítimas em diversos setores, atuavam de forma legal e ilegal ao mesmo tempo.

Leia também

Yakuza tem briga e nova facção poderosa é criada

Profissional faz próteses de dedos para devolver vida e reputação de membros da Yakuza

O dia em que uma japonesa processou o chefe da Yakuza

Kuma

Era nacionalista e seu apelido Kuma (urso) se dava por conta de sua prática em enfiar os dedos em forma de garra nos olhos de seus inimigos antes de assassiná-los de forma cruel.

Ainda assim, foi o responsável pelo estigma de bem-feitor da Yakuza dentro da sociedade japonesa atual.

Na época do pós guerra ajudou a recuperar a economia do país e levava suprimentos para os afetados pela guerra. Além disso, os membros se diziam descendentes espirituais da casta dos samurais e por isso tinham um código de honra.

Em 1963, a polícia japonesa preocupada com o poder do grupo Yamaguchi-gumi foi atrás do oyabun. Em 1966 ele foi indiciado e começou uma longa batalha judicial.

Em 1975, sobreviveu a um ataque do clã Matsuda dentro de uma boate em Kyoto. Foi baleado no pescoço por uma arma de calibre 38.

Antes de ser setenciado e julgado morreu de ataque cardíaco em 1981 em Amagasaki. Seu funeral foi pomposo e diversas celebridades compareceram. Até hoje seu nome é conhecido e as práticas estabelecidas de Kuma ainda fazem parte da Yakuza.

Gostou do artigo? Inscreva-se em nossa Newsletter.

Fontes: livro Yamaguchi-gumi, 2010.

Comentários

Share via