Desvende alguns mitos sobre o Japão

Com seus mais de 4 mil anos de história, o Japão continua inspirando mistérios sobre sua cultura, tradições e organização social, mas algumas inverdades sobre o país ainda rodam o mundo.

Embora algumas informações apresentadas nesse post possam parecer conflitar com outros textos já divulgados, é importante entender o conceito em que elas estão inseridas.

Por isso, confira algumas inverdades que correm mundo afora sobre o Japão e os japoneses.

Japoneses não falam inglês

Esse é um tema recorrente em nosso portal. Muitas pessoas pelo mundo acreditam que os japoneses não sabem falar inglês e os que sabem, sentem vergonha ou falam mal.

Isso é parcialmente verdadeiro quando se fala sobre a vida rural e nas pequenas cidades, afinal, o Japão é o país mais hegemônico do mundo.

Outro fator importante é a diferença fonética entre os dois idiomas e a disponibilidade que os japoneses encontram para praticar e falar outro idioma onde 98% da população se comunica cotidianamente com o idioma japonês.

Mas essa afirmação não é e nunca foi verdade, principalmente quando se trata de grandes centros urbanos ou áreas de turismos do país.

Cardápios ilegíveis

Grande queixa de muitos estrangeiros que visitam a terra do Sol nascente são os menus de restaurantes que não inserem o nome dos pratos em algum idioma ocidental.

Esse mito deve vir desde o início da era Meiji, afinal, o Japão recebe cerca de 30 milhões de visitantes por ano no país.

Inutilidade dos mapas

Essa inverdade levantada por estrangeiro pode ter algum fundamento. Afinal, em muitas estações japonesas não há nomes de ruas em inglês.

Por outro lado, é comum que as saídas da estação tenham também sinais no idioma inglês.

Transportes públicos abarrotados

Quem já viu as imagens de funcionários das linhas férreas empurrando pessoas dentro de um vagão?

Por outro lado, algumas linhas férreas do país encerraram as atividades por falta de passageiros.

Além disso, é ilógico imaginar que um transporte público passe 24 por dia abarrotado de pessoas em um dos países com a melhor infraestrutura de transporte urbano do mundo.

Tóquio: a cidade que nunca dorme

Afirmar isso é desconhecer o tamanho e proporção que a cidade de Tóquio tem. Se nos grandes centros de comércio tudo acontece de forma acelerada, nos bairros residenciais não é assim.

O que é possível afirmar é que na cidade de Tóquio, todos os tipos de cultura se manifestam alternadamente pelas ruas da capital japonesa.

Também é importante lembrar que Tóquio é o coração financeiro do país. Porém, dizer que o movimento dos trabalhadores é algo que não para nunca é irreal.

Leia também

Fugu: o que acontece com o corpo quando ingerimos o veneno do baiacu?

Mitologia japonesa: os guardiões dos pontos cardeais do Japão

Chiune Sugihara: o herói japonês que salvou mais de 6 mil judeus na II Guerra

O Japão é um país caro

Poucos países no mundo são tão diversificados na quantidade e qualidade de produtos.

Além disso, o ato de negociar valores faz parte não só da cultura do Japão, como de muitos outros países do extremo oriente.

Embora alguns restaurantes, hotéis, onsens e outras atrações possam ser caros, são questões de padrões da dependência, serviços e atendimento.

Para mochileiros, aventureiros e pessoas com pouco dinheiro disponível para hospedagem, é possível passar uma noite em um hotel cápsula por apenas 100 ienes.

Regas de etiquetas são complicadas demais

Nenhum japonês espera que um estrangeiro domine e compreenda o sentido de todas as etiquetas de forma correta. Isso é uma expectativa única e exclusiva entre os japoneses.

Naturalmente quem sabe e domina as regras de etiquetas do país acabam com um bônus na experiência de visitar o país.

Gostou do artigo? Não deixe de se inscrever em nossa newsletter.

Comentários

Share via