Hachiman é o Deus da Guerra e protetor do Japão

Do shinto, existem algumas deidades importantes na história japonesa e conhecidos por serem protetores. Um deles é Hachiman, kami do clã Minamoto, de guerreiros e generais. No ocidente, ele seria conhecido como Deus da Guerra.

Hachiman

Hachiman é comumente relacionado a deidade do décimo quinto imperador do Japão, Ojin. Por isso, no Japão, existem alguns templos dedicados a Hachiman como Oijin, a sua esposa Jingo e a deusa Hime-gami.

Além disso, durante o período Nara (710-784), Hachiman tornou-se uma divindade budista também, sendo conhecido como Hachiman Daibosatsu, um Buddha.

Hachiman Daibosatsu

Hachiman Daibosatsu

No shinto, o Hachiman é conhecido como Yawata no Kami e sua aparência era contrária a do budismo. Representado pela figura de um samurai punhando arco e flecha.

Yawata no Kami - Hachiman

Yawata no Kami – Hachiman

No século 13, dizem que Hachiman enviou poderosos ventos que impediram a invasão mongol lideradas por Kublai Khan e por isso a deidade ficou conhecida como protetora do Japão.

Já no budismo, é conhecido como protetor dos templos e bodhisattva. Por isso, é comum encontrar homenagens nas duas religiões.

Clã Minamoto
Clã Minamoto

O clã Minamata clamava ser da linhagem do imperador Ojin e Yorinobu foi o primeiro a discursar esse fato. Além disso, seu filho Yoriyoshi afirmou que a vitória contra o clã Abe na guerra dos nove anos em 1062 era devido a Hachiman.

Portanto, depois da vitória, ele ergueu templos a Hachimoto em Sagami e ele passou a ser conhecido como Hachimantaro (primeiro filho de Hachiman), além de ser um exímio guerreiro.

Leia também

Mitologia japonesa: os guardiões dos quatro pontos cardeais do Japão

Você conhece a história da criação do Japão, segundo a mitologia japonesa?

De onde veio o nome do Japão?

Ele também era um excelente arqueiro e diziam que ele era capaz de atingir três homens de uma vez apenas com uma flecha.

No período Kamamura (1185-1333), Hachiman era venerado pela classe dos guerreiros samurais.

Atualmente, existe um ritual chamado omiyamairi em que bebês visitam templos dedicados a Hachiman para receber purificação, além de ter festivais, tanto budistas, quanto shintos dedicados ao kami.

Increva-se em nossa newsletter ou receba nossos artigos pelo messenger.

Comentários

Share via