Transporte público no Japão: verdades e mitos sobre o metrô

Existem certas regras de etiquetas para o transporte público no Japão. Embora seja desejável saber minimamente os costumes de um país antes de ir conhecê-lo, confira alguns mitos e verdades sobre as regras do metrô.

Não é permitido falar no metrô

interior do vagão do metrô

Não falar durante o trajeto do metrô é provavelmente o mito mais conhecido. Isso não é necessariamente verdadeiro por alguns motivos.

Em primeiro lugar, é preciso compreender como os japoneses se comportam em público e como o respeito pelo outro (espaço, propriedade, bem-estar) é fundamental dentro da sociedade.

Então, a questão não é exatamente sobre não falar no metrô, e sim, que o silêncio é um valor muito importante para a sociedade japonesa.

Embora falar ao telefone em público no metrô seja considerado como uma atitude desrespeitosa, isso não quer dizer que os metros do Japão sejam como um cemitério.

Normalmente as viagens matutinas são as mais silenciosas. Mas, após o expediente é comum ver colegas de trabalho conversando no transporte público.

É aconselhável para estrangeiros observarem o comportamento dos japoneses. Se houverem pessoas conversando, é um sinal de que está tudo bem falar no metrô.

Porém, mesmo que hajam outras pessoas conversando, o ideal é usar um tom baixo para não incomodar quem está próximo.

Não há assentos ou lugares reservados

Placa de assentos reservados

Assim como todos os países do mundo, o Japão possui regiões mais ricas e desenvolvidas do que outras.

Logo, a estrutura dos serviços públicos de Tokyo, por exemplo, é muito superior de cidades menores e pequenas vilas.

Por isso é parcialmente verdadeiro que alguns transportes públicos japoneses não estejam adaptados para receberem pessoas com alguma deficiência.

Todavia, o Japão é considerado um dos melhores países do mundo no que diz respeito a acessibilidade, seja no transporte público ou no acesso as ruas e comércios.

Lado certo da escada rolante

escada rolante movimentada

Regras de trânsito em estações de trem e metrô não são exclusividades do Japão. Na cidade de São Paulo, por exemplo, ficar parado do lado esquerdo da escada rolante pode até gerar uma briga na hora do rush.

Diferente de São Paulo, dificilmente algum japonês irá iniciar um conflito com um estrangeiro por ele estar parado no lugar errado da escada rolante.

Mesmo assim, essa regra é verdadeira. A diferença fica por conta do lado. Em Kanto (lado de Tokyo) o lado direito deve ficar livre. Em Kansai (lado de Osaka) é o lado esquerdo.

Leia também

Yakiniku: restaurantes perto de metrôs que servem o churrasquinho japonês 

Qual é o melhor? Diferenciando os bilhetes de metrô de Tóquio (com preços) 

Metrô do Japão: o sistema ferroviário e suas técnicas psicológicas 

Atravessar fora da faixa de pedestre

faixa de pedestre fora da estação

No Japão (como na maioria dos países do mundo) atravessar a rua sem que o semáforo para pedestres esteja aberto é proibido. Portanto, essa informação é verdadeira.

Porém, diferente do Brasil e EUA, por exemplo, onde ninguém se importa se você atravessou a rua corretamente, os japoneses reprovam a atitude por completo.

Só que quando se trata do metrô, a pressa do cotidiano e eventuais atrasos, nem todas as pessoas tem a paciência de esperar o semáforo de pedestres ficar verde para atravessar a rua e entrar na estação.

Mesmo assim é recomendado esperar o semáforo de pedestres abrir para atravessar a rua, já que se ocorrer um acidente/atropelamento, a culpa será sua, além de estar em um país totalmente diferente e ficará a mercê das leis rígidas japonesas.

Compartilhe! Clique aqui e receba nosso conteúdo exclusivo pelo Facebook Messenger.

Comentários

Share via