De sobrevivente do Titanic a amaldiçoado no Japão, conheça a história de Masabumi Hosono

Masabumi Hosono, foi o único japonês que sobreviveu ao naufrágio do Titanic, para muita gente, só o fato de ele ter escapado, sua história deveria ser digna de superação.

No Japão, a realidade foi outra. Ter perdurado, quando centenas de pessoas morreram, causou um sentimento de revolta no governo e população, pelas circunstâncias falsas divulgadas acerca de sua sobrevivência.

Naufrágio e poucos botes

O Titanic naufragou na madrugada do dia 14 de abril de 1912, com poucos botes salva vida a bordo.

Afinal, conhecemos o fatídico e trágico destino da maioria dos viajantes e da tripulação, por causa desse fator.

Eram 20 botes, para 2,227 pessoas, se colocar na ponta do lápis, eles seriam suficientes para apenas 1,178. Sobreviveram 705 pessoas.

No começo, com a informação do naufrágio restrito apenas aos oficiais de alto escalão, muita gente, inclusive, a tripulação recusou entrar nos botes.

Hoje, sabemos que apenas três botes foram preenchidos em sua capacidade total, a maioria partia com poucas pessoas, pois, eles pensavam que daria tempo dos navios de resgates chegarem a tempo.

O caos e o desespero para entrar nos botes aconteceram apenas quando a situação estava crítica.

Leia também:

Masabumi Hosono

Masabumi Hosono

Enviado a Rússia dois anos antes do naufrágio, trabalhava para o ministro do transporte, pesquisando o sistema ferroviário do país.

Embarcou no Titanic, no dia 10 de abril, em viagem para voltar ao Japão. Nascido no dia 15 de outubro de 1870, pouco se sabe da vida de Masabumi Hosono antes do Titanic.

Ao sobreviver e voltar ao Japão, foi chamado de covarde e sua vida uma desonra. Naquela época, não havia muitas informações acerca do acidente.

Muitos pensaram que ele havia tirado o lugar de mulheres e crianças nos botes e, por isso, deveria ter morrido.

Por muito tempo sua história não foi contada e seu nome repudiado.

Noite do acidente

Masabumi Hosono estava dormindo em compartimento da segunda classe, na parte inferior, quando o iceberg atingiu silenciosamente o casco do Titanic.

Cerca de 20 a 30 minutos depois, a maioria dos passageiros, foram acordados para vestir um colete salva vida.

Ninguém sabia a gravidade do acontecimento, porém, Hosono tinha conhecimentos sobre embarcações.

Impedido de sair da parte inferior, conseguiu chegar ao primeiro nível e confirmar o naufrágio, foi assim que conseguiu se salvar.

Inicialmente, a maioria dos passageiros se recusava a entrar nos botes, pois, a ideia de que o Titanic afundaria era inacreditável.

Carta de Masabumi Hosono

Segundo Masabumi Hosono, em carta para sua esposa, quando o bote número 10 estava cheio de mulheres e crianças, os oficiais ofereceram mais dois lugares.

Ele estava calmo e preparado, conformado de que não veria mais sua mulher e filha, a oportunidade surgiu e ele entrou no bote junto de outro homem.

Eles e mais 32 mulheres e crianças puderam se salvar, pouco mais de uma hora após a colisão, com metade da capacidade total do bote. Duas horas depois, o Titanic afundou por completo.

Na época, enquanto ainda estava em “Nova York”, antes de seu retorno ao Japão, diversas publicações contaram sua história distorcida, reforçando as qualidades negativas de covardia.

Os jornais contavam que Hosono e outro passageiro teriam se disfarçado de mulher para conseguir um lugar no bote, escapando de uma morte honrada.

As pessoas não entendiam como mulheres e crianças haviam morrido e homens sobreviveram. Ele havia desgraçado o Japão aos olhos do mundo.

Murahachibu

Como seus conhecimentos em sua área eram valiosos, ele teve autorização para voltar a trabalhar em outra função inferior.

Porém, carregou durante sua vida toda a desgraça em ter sobrevivido ao naufrágio. A maldição imposta a Masabumi Hosono foi o Murahachibu.

É uma prática de punição por atentado a lealdade, imposta por um grupo da sociedade japonesa.

Hosono não estava mais em conformidade com os modos e costumes do Japão, por isso, foi excluído socialmente. Morreu em 1939.

Em vida, Hosono nunca pode tocar no assunto ou contar sua versão da história para se defender.

Depois do lançamento do blockbuster Titanic, em 1997, a carta para sua esposa apareceu e com os acontecimentos esclarecidos, a reputação de Masabumi e sua família restabelecida.

Recebeu honraria póstuma do governo e sua versão, finalmente, pode ser conhecida e compreendida pelos japoneses.

Gostou do artigo? Não deixe de compartilhar e comentar!

Comentários

Share via