Hitobashira: pilares construídos com corpos humanos no Japão

Lendas sobre o hitobashira (人柱, pilar humano) circulam no Japão desde a antiguidade. O hitobashira era uma espécie de sacrifício humano praticado antigamente no Japão, no qual pessoas vivas ou restos mortais eram enterrados dentro dos alicerces de grandes construções.

Acreditava-se que esta prática servia como uma oferenda aos deuses em troca de obras mais fortes, estáveis e protegidas contra desastres naturais. Normalmente, este recurso era utilizado em construções de castelos, diques e pontes. Diz-se que esta tradição continuou até o século 18, sendo que alguns permaneceram fiel a esta prática até o século 20.

Leia também:

Exemplos arquitetônicos

• Castelo Matsue

Castelo Matsue
(Crédito: Wikipedia)

Um dos casos mais famosos está associado ao Castelo Matsue, localizado na província de Shimane, construído no século 17.

De acordo com a lenda, o muro de pedra da torre central desabou em várias ocasiões durante a sua construção. Convencido de que um pilar humano estabilizaria a estrutura, os construtores decidiram procurar uma pessoa adequada durante um festival local de Obon.

Da multidão, eles escolheram uma linda jovem que demonstrou excelentes habilidades de dança. Depois de capturá-la, ela foi assassinada e seus restos mortais foram fixados na parede. Assim, a construção prosseguiu sem incidentes.

No entanto, depois de concluída, o espírito da moça começou a assombrar o castelo. Toda a estrutura tremia quando uma menina dançava nas proximidades. Dessa forma, a dança pública foi banida das ruas de Matsue.

Ponte Matsue Ohashi

Segundo lendas, a Ponte Matsue Ohashi também foi construída através desta prática. Mesmo após trabalhos incansáveis para erguer a ponte, ela logo desmoronava.

Então, um sacrifício humano foi feito para apaziguar os espíritos atormentados. Um homem foi enterrado vivo no rio. Depois disso, a ponte permaneceu imóvel por trezentos anos.

A lenda é tão profundamente acreditada, que quando a nova ponte estava sendo construída (1891), milhares de pessoas tinham medo de ir para a cidade, pois surgiram rumores de que era necessária uma nova vítima.

Ponte Matsue Ohashi
Memorial próximo à Ponte Matsue Ohashi. (Crédito: Wikipedia)

Em homenagem ao sacrifício humano, há um memorial dedicado às vítimas que morreram durante a construção da ponte.

• Castelo Maruoka 

Castelo Maruoka
(Crédito: Wikipedia)

O castelo Maruoka, localizado na província de Fukui, é um dos castelos mais antigos do Japão. Há rumores de que ele tenha sido construído com um pilar humano. Segundo a lenda, devido aos constantes desmoronamentos do muro durante sua construção, O-shizu, uma mulher de um único olho, foi escolhida para ser hitobashira. Ela concordou sob a condição de que seu filho pudesse ser um samurai. Assim, ela foi enterrada sob o pilar central do castelo.

Logo depois disso, a construção foi concluída com sucesso. No entanto, a promessa não foi cumprida. Desde então, o fosso foi inundado toda as vezes que as grandes chuvas da estação da primavera chegavam. Os moradores locais diziam que a inundação era enviada pela avó de um olho como uma forma de vingança.

Outros exemplos

Outras estruturas que estão envolvidas em rumores em relação à prática de pilares humanos são:

• Castelo Gujo-Hachiman (Gifu)
• Castelo Nagahama (Shiga)
• Castelo Maruoka (Fukui)
• Castelo Ozu (Ehime)
• Castelo Komine (Fukushima)
• Santuário Itsukushima (Hiroshima)
• Ponte Fukushima (Tokushima)
• Ponte Kintaikyou (Yamaguchi)
• Hattori-Oike (Hiroshima)
• Canal Imogawa (Nagano)
• Aterro Karigane (Shizuoka)
• Barragem Manda (Osaka)

Histórias mais recentes

Versões modernas destas lendas também podem ser encontradas em Hokkaido. Ossos humanos foram encontrados em torno de várias pontes e túneis, oferecendo um ar de credibilidade aos rumores de que os trabalhadores foram sacrificados durante as construções.

túnel Jomon
(Crédito: wikiwand)

Um exemplo é o túnel Jomon, construído em 1914 para dar acesso à linha férrea Sekihoku Line (JR Hokkaido). Em 1968, o túnel passou por reparos após um grande terremoto. Durante a reforma, foram encontrados uma série de esqueletos humanos, de pé, selados no interior das paredes.

Uma grande quantidade de ossos humanos também foram descobertos próximo ao túnel. A descoberta alimentou as crenças de que o túnel tenha sido construído com pilares humanos. Muitas pessoas, incluindo condutores de trem, acreditassem que o túnel é assombrado pelos fantasmas das vítimas.

estátua Jomon
Monumento em homenagem aos trabalhadores do túnel Jomon. (Crédito: Wikimedia Commons)

Algumas teorias sugerem que condições de trabalho brutais e má nutrição levaram muitos trabalhadores a contrair uma grave doença. Sem acesso à medicina, acredita-se que essas vítimas tenham sido enterradas vivas perto do local de construção. Um monumento em homenagem a esses trabalhadores mortos foi erguido em 1980.

Apesar da existência de tantas lendas a esse respeito, não existem evidências conclusivas que comprovem que o hitobashita tenha realmente sido praticado no Japão.

De qualquer forma, essas histórias são bem sinistras, não é mesmo? Vocês já tinham ouvido falar sobre o hitobashira?

Fonte: Pinktentacle, Wikipedia

Comentários

Share via