Quais as palavras que melhor descrevem este ano? Para esta pergunta, anualmente é realizado o “2017 U-Can Shingo Ryukogo Taisho (2017 U-Can New Words and Buzzword Awards)”. Esta premiação elege os termos que mais representaram a opinião pública dentro dos acontecimentos, discursos e modismos durante o ano.

As 30 palavras-chave que concorrerão ao prêmio, foram anunciadas no dia 9 de novembro. Ao divulgar a lista, os organizadores do concurso disseram que a seleção deste ano indica um ano pessimista. “Em comparação com outros anos, muitas das palavras-chave deste ano eram sádicas e negativas”.

As palavras foram selecionadas pelo Jiyukokuminsha, a editora do guia anual “Gendai Yogo no Kiso Chishiki“. Um comitê formado por cinco pessoas, incluindo o acadêmico Kang Sang-jung, o poeta Machi Tawara e o cartunista Mitsuru Yaku, escolherão as 10 palavras vencedoras que serão anunciadas no dia 1º de dezembro. Veja os 30 termos candidatos ao prêmio que elege as “palavras do ano de 2017“:

30 palavras-chave mais memoráveis de 2017

• Insta-bae (インスタ映え, Insuta-bae)

Insuta-bae
(Crédito: cchan)

O termo refere-se ao fenômeno social de tirar e postar fotos na rede social Instagram. Com tantos usuários em busca constante por cenas ou produtos perfeitos para o aplicativo de compartilhamento de fotos, empresas estão investindo na criação de produtos fotogênicos e campanhas que utilizam o “hashitag“.

• Aufheben (アウフヘーベン, Aufuhēben)

Termo filosófico alemão usado pela governadora de Tokyo, Yuriko Koike. Esta palavra possui vários significados contraditórios como “levantar”, “suspender” e “cancelar”, deixando muitas pessoas confusas sobre o que Koike queria dizer.

Ela utilizou a palavra para descrever o plano de renovação do mercado de peixe Tsukiji. Com este termo, a governadora explicou que estava expressando a intenção do governo de “parar e fazer um balanço da situação atual do mercado antes de levá-lo a um nível mais alto”.

• Youtuber (ユーチューバー, Yūchūbā)

Youtubers são as pessoas que produzem conteúdo no Youtube. Existem muitos Youtubers japoneses populares, com milhões de assinantes (confira aqui).

• Unko Kanji Doriru (うんこ漢字ドリル, “Poop Kanji Drills”)

Unko Kanji Doriru
(Crédito: Divulgação)

Este é o título de uma série de livros didáticos de kanji para crianças ensinado pelo “professor cocô”. Já foram vendidos mais de um milhão de cópias desde o seu lançamento em março.

• Enjō (炎上)

Enjō” refere-se a algo que gera uma onda de repercussões nas mídias sociais. Em 2017, muitos comerciais de TV e vídeos promocionais foram atacados por transmitir o que alguns consideravam vulgar ou machista.

Leia também:

• Utsunuke (うつヌケ)


Este é o título de um livro publicado pelo cartunista Keiichi Tanaka sobre sua batalha pessoal contra a depressão e como ele a superou.

• AI Speaker (AIスピーカー, AI supīkā)

Estes alto-falantes com inteligência artificial estiveram bastante em evidência neste ano. Os dispositivos controlados por voz podem ser integrados com vários itens, incluindo eletrodomésticos, sistemas de música e produtos de segurança. Alguns dos aparelhos disponíveis no mercado são: Line’s Clova, Amazon’s Echo speakers e Google’s Home.

 

• Kyōbōzai (共謀罪)

Kyōbōzai” (“Conspiração”) foi o tema da nova lei que prevê a punição para pessoas suspeitas de cooperarem com atividades terroristas. A temática foi considerada polêmica por muitas pessoas que descreveram-na como excessivamente vaga, aberta ao abuso das autoridades e uma ameaça potencial para as liberdades públicas no Japão.

• Ginza Six

Ginza Six
(Crédito: Divulgação)

Maior instalação comercial de Ginza (Tokyo), inaugurado no dia 20 de abril de 2017. O interior possui obras da famosa artista Yayoi Kusama.

• Tōken ranbu (刀剣乱舞)

Tōken ranbu” (“Dança selvagem das espadas”) é uma série de jogos eletrônicos para computadores e smartphones.

• Kūzen zetsugo no (空前絶後の)

Kūzen zetsugo no” (“sem precedentes” ou “nunca antes visto e nunca mais será visto novamente”). Este é o slogan do comediante japonês Sunshine Ikezaki.

• Hatarakikata kaikaku (働き方改革)

Hatarakikata kaikaku” refere-se à reforma trabalhista. O Japão enfrenta problemas de emprego, incluindo uma diminuição da população ativa e a morte por excesso de trabalho. Como abordar estas questões através de uma reforma do estilo de trabalho tornou-se um dos grandes tópicos deste ano.

• J-Alert (Jアラート, J-arāto)

J-Alert
(Crédito: Divulgação)

J-Alert é o sistema de emissão de informações em situações de emergência no Japão, como condições climáticas extremas ou ataques militares. Este ano, em particular, a palavra apareceu com frequência nas notícias, já que a Coréia do Norte disparou vários mísseis sobre o território japonês.

• Jinsei 100 nen jidai (人生100年時代 – lê-se jinsei hyakunen jidai)

Jinsei 100 nen jidai” quer dizer uma era na qual você pode “viver 100 anos”. Em setembro deste ano, o primeiro-ministro Shinzo Abe estabeleceu um objetivo destinado a criar um sistema econômico e social para uma era em que as pessoas possam viver mais. Em 2016, o Japão tinha 65.692 centenários, tornando-se uma das nações mais longevas do mundo.

• Suimin fusai (睡眠負債)

suimin fusai
(Crédito: Divulgação)

Suimin fusai” refere-se ao fenômeno do “déficit de sono”. O professor Nishino Seiji, pesquisador do Centro Stanford para Ciências do Sono e Medicina, advertiu contra os perigos dessa falta de sono acumulada. Segundo ele, esta prática aumenta a probabilidade de demência e outros distúrbios.

• Senjō kōsuitai (線状降水帯)

Senjō kōsuitai” quer dizer “zona de precipitação linear”, ou seja, área de chuvas que se estende linearmente por várias horas. Este fenômeno climático causa chuvas regionais pesadas. Em 2017, ele provocou vários desastres no Japão, incluindo um temporal no norte de Kyushu em julho.

• 35 Oku (35億 – lê-se sanjugo oku)

35 Oku” (3,5 bilhões) é utilizado pela comediante Blouson Chiemi como uma assinatura própria.

• Sontaku (忖度)

Por cerca de quatro meses, a partir de meados de março, a palavra “sontaku” (moderação) liderou o ranking dos termos mais frequentemente pesquisados em dicionários on-line e tem sido usado em estratégias de marketing por marcas em todo o país.

• ○○ First (○○ファースト, ○○ Fāsuto)

Tokyo
(Crédito: Divulgação)

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, popularizou o slogan “America First” nos discursos de sua campanha eleitoral. Seguindo a mesma estratégia, a governadora de Tokyo, Yuriko Koike, nomeou seu partido político de “Tomin First no Kai” (Tokyoites First), com uma agenda voltada aos interesses dos residentes locais. No entanto, 2017 também viu uma série de figuras públicas serem repreendidas publicamente por colocar seus próprios interesses em primeiro lugar.

• Chi-ga-u-da-ro-! (ち—が—う—だ—ろ—!)

O termo “Chi-ga-u-da-ro-!” foi dito pela ex-deputada Toyota Mayuko ao insultar agressivamente seu assistente dentro do veículo.

• Hand Spinner (ハンドスピナー , Hando supinā)

A mania do brinquedo “hand spinner” que começou nos Estados Unidos, saltou o Pacífico no final do ano passado e criou raízes firmes no Japão, conquistando crianças e adultos.

• Kemono Friends (けものフレンズ, Kemono Furenzu)

Kemono Friends
(Crédito: Divulgação)

Kemono Friends é uma franquia de mídia japonesa que se tornou um grande sucesso como uma animação e um videogame. Situado em um parque fictício, a série segue as aventuras de animais selvagens que se transformam em meninas.

Grape, um pinguim do jardim zoológico de Tobu (que morreu neste ano) conseguiu fama instantânea na internet depois de se apaixonar por um recorte de papelão com a imagem de Hululu – um personagem do anime “Kemono Friends”.

• Hifumin (ひふみん)

Hifumin” é o apelido do lendário jogador de shōgi (xadrez japonês) aposentado, Hifumi Kato.

• 9.98 (10 byō no kabe) – 9.98 (10秒の壁)

9.98
(Crédito: Divulgação)

Yoshihide Kiryu foi o primeiro japonês a bater a marca dos 10 segundos na corrida de 100 metros rasos. Em uma reunião intercolegial na província de Fukui, em setembro, ele registrou 9,98 segundos.

• Fake news (フェイクニュース, Feiku nyūsu)

Fake news” refere-se às notícias falsas que circulam pela Internet. O termo tornou-se popular após o presidente dos EUA Donald Trump ter chamado o noticiário da CNN de “fake news“. E o Japão também não era imune a essas notícias falsas que inundaram a Internet no período anterior às eleições presidenciais dos Estados Unidos.

• Fujii Fever (藤井フィーバー, Fujii Fībā)

Sota Fujii, também conhecido como Fujii Fībā, é um jogador de 14 anos de idade que alcançou a incrível marca de 29 vitórias consecutivas no jogo shōgi, recorde nunca antes alcançado por nenhum profissional. Em sua partida inaugural, em dezembro de 2016, ele derrotou o jogador Hifumi Kato.

• Premium Friday (プレミアムフライデー, Puremiamu furaidē)

Premium Friday
(Crédito: SBS)

O “Premium Friday” é uma campanha de incentivo ao consumo feita pelo governo japonês. Esta iniciativa público-privada destina a estimular as pessoas a deixarem o trabalho na última sexta-feira de cada mês e, assim, acelerar os gastos e reduzir as longas horas de trabalho.

• Posuto shinjitsu (ポスト真実)

Posuto shinjitsu” quer dizer “pós verdade”. Em 2016, o Oxford Dictionaries  escolheu esta expressão como a “Palavra do Ano”. Esta seleção produziu reflexos no Japão. Especialistas no país criticaram a forma como as discussões on-line e na imprensa são cada mais desviadas por opiniões pessoais e influenciadas pelo apelo sentimental.

• Ma no ni kaisei (魔の2回生)

Ma no ni kaisei” (“Segunda evolução demoníaca”) refere-se ao grupo vencedor do Partido Liberal Democrático que repete muitas gafes e comportamentos problemáticos por 12 anos.

• One ope ikuji (ワンオペ育児, Wan’ope ikuji)

mãe
(Crédito: Kyodo)

Wan ope ikuji” (cuidados infantis únicos) refere-se à situação em que o pai ou a mãe tem que trabalhar, criar os filhos e realizar todas as tarefas domésticas sozinho (a). A combinação abreviada das palavras “one” (“um”) e “ope” (“operação”) foi originalmente usada para descrever as operações em restaurantes de fast food e lojas de conveniência onde os funcionários tinham que assumir a responsabilidade e executar todos os tipos de trabalho.

Fonte: Japan Times, Nippon

Curta nossa página no Facebook
(Não aperte o botão se você já curtiu)

Comentários

comentários