No post parte 1 falamos sobre os seis primeiros animais (rato, boi, tigre, coelho, dragão e serpente) a atenderem ao chamado de Buddha para o benefício de todos os seres, se não viu clique aqui e ache seu signo.

Esse chamado faz parte do zodíaco japonês. Os signos indicam as tendências de uma pessoa e podem corresponder ou não. Lembre-se que o perfil de um signo serve para explorar as virtudes e corrigir os defeitos, um signo não deve ser visto como uma sina.

Confira agora os seis últimos animais a chegarem ao chamado de Buddha:

Uma – Cavalo (2014, 2002, 1990, 1978, 1966, 1954, 1942, 1930)

Foi o sétimo a chegar e no passado trabalhava lado a lado com os humanos. O corpo forte e grande poder fazem de Uma o símbolo da vida, representando a vitalidade e a abertura.

Uma é muito alegre e sociável, independente e naturalmente habilidoso. As pessoas nascidas no ano do cavalo são versáteis, inteligentes, talentosas e decisivas.

Apesar de suas muitas virtudes, Uma tem tendências a não finalizar o que começou, ficar nervoso com facilidade, ser impaciente e egoísta.

Hitsuji – Cabra (2015, 2003, 1991, 1979, 1967, 1955, 1943, 1931)

O pacífico e elegante Hitsuji foi o oitavo a chegar. É simbolo da felicidade na vida familiar, representa a paz e a segurança.

Os nascidos no ano da cabra são encantadores, artistas de natureza passional. Hitsuji é muito devoto e apaixonado a qualquer que seja sua crença.

Hitsuji possui tendências a ter uma sensibilidade frágil, dar atenção demais aos pequenos problemas e ao pessimismo.

Saru – Macaco (2016, 2004, 1992, 1980, 1968, 1956, 1944, 1932)

O nono foi o sábio Saru, acredita-se que macacos sejam sábios das montanhas e mensageiros dos deuses, representa a inteligência e a curiosidade.

Os nascidos no ano do macaco são originais, inovadores, inteligentes, divertidos e sempre possuem soluções para grandes problemas. Além disso são habilidosos para operações de larga escala.

Saru tem tendência a ser desconfiado, ingênuo, impaciente, além de possuir dificuldade em ver a situação como um todo e são muito agitados mentalmente.

Tori – Galo (2017, 2005, 1993, 1981, 1969, 1957, 1945, 1933)

O elegante Tori foi o décimo, associado ao ganho (torikomu), é considerado um animal de sorte para os negócios, representa a bondade e a hospitalidade.

Tori é um esforçado e dedicado trabalhador, pensador profundo, está sempre focado em seu trabalho, os nascidos no ano do galo prosperam na adversidade, seu canto anuncia a luz e revela o que está escondido na sombra.

Por outro lado, podem ser agressivos, falar o que vem a mente sem pensar antes, desconfiados, tendem a querer fazer mais do que podem fazer.

Leia também:

Inu – Cão (2018, 2006, 1994, 1982, 1970, 1958, 1946, 1934)

Inu, o décimo primeiro, brigou com Saru no caminho para Buddha, Tori foi o mediador que pacificou a briga, representa a diligência e a devoção.

Pacientes, fortes e leais, os nascidos no ano do cão são honestos e trabalham duro para atingir seus objetivos, inspiram confiança e são bons guardiões de segredos.

Inu pode ser muito teimoso e ter dificuldade em admitir seus próprios erros, tem tendência a pensamentos negativos.

Inoshishi – Javali (2019, 2007, 1995, 1983, 1971, 1959, 1947, 1935)

Inoshihi venceu Ox na corrida até Buddha, porém, focado em seu oponente, passou direto por Buddha, por essa razão foi o último a chegar, representa a coragem e a aventura.

Quem nasce no ano do javali tende a ser honesto, solícito e ter espírito de pioneiro. São intelectuais que traçam metas difíceis, possuem tremenda força interior e não gostam de truques ou atalhos.

Por outro lado tem tendência a ter pavio curto, ver tudo como oito ou oitenta, ingênuos, materialistas, mas por serem honestos esperam que todos sejam também.

E então, se identificou com seu signo japonês? Não deixe de comentar!

Curta nossa página no Facebook
(Não aperte o botão se você já curtiu)

Comentários

comentários