Cada vez mais os japoneses estão trocando os ternos formais de trabalho por trajes mais casuais e confortáveis

Os tempos estão mudando e a geração mais jovem do Japão está preferindo a praticidade e o conforto aos ternos formais de trabalho. Saiba mais!

Leia também:

Ternos formais de trabalho

No Japão, ingressar no mercado de trabalho como assalariado ou auxiliar de escritório significa usar ternos formais de trabalho, em estilos e cores muito básicos.

E por mais exigente que possa parecer, sair desta norma pode realmente reduzir suas chances de conseguir um emprego.

Pesquisa

Mas mesmo em um país que mantém a tradição em alta consideração, os ventos da mudança começaram a soprar. Isso é o que mostra uma análise abrangente da Pesquisa de Renda e Despesas Familiares conduzida pelo Ministério de Assuntos Internos e Comunicações do Japão.

Em 1991, a família japonesa média gastava 25.000 ienes (US$ 220) por ano em trajes para o trabalho. O que equivalia portanto, a 0,5% da renda anual média nacional, que é de 4,6 milhões de ienes.

▼ Em 2016, estas despesas baixaram para apenas 6.959 ienes por ano.

Isso pode ser atribuído a vários fatores, incluindo a proliferação de empresas de TI e de capital de risco. Estes profissionais, muitas vezes, podem trabalhar com trajes de trabalho casuais.

Códigos rígidos

No entanto, algumas empresas japonesas ainda mantêm códigos rígidos de vestimenta até hoje. Mesmo no calor insuportável.

E seus funcionários são obrigados a usar ternos durante os verões quentes e frequentemente ficam encharcados de suor apenas por caminharem da estação de trem para o escritório. Significa também mais idas às lavanderias.

▼ Assim, alguns chegaram ao ponto de se transferir, sem nem pensar, para uma empresa que permite o traje mais casual.

Além disso, investir 40 mil ienes, ou mais, em um conjunto para o trabalho pode não caber no bolso de todos. Sem contar o investimento financeiro adicional para os recém-formados, que ainda precisam pagar seus empréstimos estudantis.

O declínio nas vendas portanto, fez as ações de empresas como a Aoyama Trading e a Aoki Holdings, despencarem. Estas são as duas das maiores marcas da indústria de trajes de escritório do Japão. E até mesmo os novos tecidos e estilos parecem ter um efeito mínimo na retração do mercado.

Embora seja difícil dizer que veremos a morte dos trajes de negócios no Japão, em breve, é fato que mais trabalhadores irão desejar roupas confortáveis.

E a pesquisa ​​sugere também que a praticidade está se tornando uma preocupação maior para os japoneses. Além do que, parece que ninguém gosta de suar a camisa branca antes mesmo de chegar ao trabalho.

Fontes: Niconico News via My Game News Flash via SoraNews24 / Pakutaso (12)

Comentários

Share via