Saiba quais são as piores furadas disfarçadas de “oportunidades” para estrangeiros no Japão

Ao longo do ano de 2018 o governo japonês aprovou uma série de programas para atrair estrangeiros no Japão. Porém muitas “oportunidades” no Japão são uma grande furada.

O problema é mais sério do que aparenta ser e recentemente foi aberta uma comissão na Dieta. Tudo para discutir o Ato de Controle de Imigração e entre os temas abordados estava os falsos contratantes e corretores.

cilada

Os três casos mais comuns e suas complicações

A lei atual de imigração japonesa estabelece que um estrangeiro no Japão é autorizado a realizar trabalhos simples se corresponder a uma de três condições:

1. Casar-se com um cidadão japonês;
2. Estudantes de escolas internacionais (máximo de 28 horas semanais);
3. Trabalhador técnico ou de programas de trainee internos.

Por isso, para não cair em nenhum golpe em um outro país é importante verificar todas as informações sobre uma oportunidade.

1. Casamentos falsos

No Japão existem pessoas e até agencias que cobram um valor para um estrangeiro casar com um cidadão japonês.

Além da prática ser um crime em si, a maior parte das vítimas desse tipo de golpe são as mulheres estrangeiras.

Após a chegada no Japão, o falso marido ou alguém da agência vai buscá-la no aeroporto gerando uma sensação de segurança. Porém, chegando na agência uma série de dívidas são atribuídas a essas pessoas.

Além disso, para quitar esses valores, elas são levadas para trabalhar em clubes noturnos como hostess. Em alguns casos, para a indústria do sexo.

Algumas são coagidas a trabalhar nesses locais durante três a cinco anos para conseguir pagar todas as supostas dívidas adquiridas.

Por isso vale a pena riscar essa opção para conseguir trabalhar no Japão.

Leia também

Por que o Japão é pouco aberto aos trabalhadores estrangeiros e quais imigrantes têm mais chances atualmente?

O que pensam as gerações da sociedade japonesa sobre os trabalhadores estrangeiros no Japão?

Quem são os trabalhadores descartáveis do Japão?

2. Fraude escolar

Algumas instituições maliciosas do Japão atraem jovens estudantes do mundo inteiro com a promessa de ganhos entre 200 e 300 mil ienes.

Porém, as taxas de admissões podem ultrapassar os 1,5 milhões de ienes. E isso normalmente é uma quantia significativa para muitas pessoas.

Mas atraídos pela promessa em aprender japonês em uma escola internacional e ainda conseguir juntar dinheiro, muitos estrangeiros caem nessa fraude.

Para conseguir um visto de estudante, não só no Japão, mas na maioria dos países do mundo, o candidato deve ter uma reserva em dinheiro suficiente para sua estadia.

A condição de trabalho só é permitida para que o estrangeiro possa complementar sua renda. Por isso é impossível ganhar tanto dinheiro assim.

Aqueles que caem nesse tipo de golpe costumam atrair uma imensa dívida. Além disso, ficam a mercê e não tem outra opção a não ser trabalhar 28 horas por dia. Se tiver sorte, pode ganhar mais ou menos 120 mil ienes no mês.

3. Trabalhos ilegais e contratos fraudulentos

Quem recebe uma proposta de emprego ou encontra uma vaga no Japão deve ficar alerta e não se deixar levar pelas emoções.

Deve-se pesquisar o histórico da empresa, se existem queixas, se os salários são pagos corretamente, enfim, isso é fundamental antes de tomar uma decisão.

Tenha em mente que normalmente as empresas japonesas buscam funcionários estrangeiros para reduzir o custo da mão de obra.

Em alguns casos, o valor do salário será o limite da sobrevivência no país e sem a possibilidade de fazer alguma poupança. Pessoas nessas condições são os alvos principais de traficantes de trabalhadores.

Eles costumam abordar o estrangeiro com a promessa de apresentá-lo a uma empresa que poderá pagar o triplo do atual salário.

Quem é vítima desse golpe se vê em uma situação perigosa. Além disso, até mesmo seus documentos podem ser usados para algum tipo de transação ilegal.

Por isso, por mais tentador e emocionante que seja uma proposta de oportunidade no Japão, é importante pesquisar e investigar para não ser uma vítima nesses golpes e fraudes.

Esse artigo foi útil para você? Não deixe de se inscrever na nossa Newsletter.

Share via