Cinco formas de atrair sorte no estilo japonês

No Japão não faltam maneiras de atrair sorte para o próximo ano ou para a vida. Em um país majotariamente shinto e budista, as duas religiões convivem bem e seus auspícios estão espalhados.

Por isso, conheça cinco formas de manter boas vibrações e ter um pouco mais de sorte.

1. Daruma

daruma

O daruma é um símbolo de muita sorte. No formarto do Bodhi Lama simboliza o poder acima de todas as dificuldades da vida. O otismo é representado como um dos mais fortes sentimentos da humanidade.

Geralmente é encontrado sem olhos. O direito deve ser pintado com uma oração e um pedido. Se o objetivo for alcançado, o darumo ganha a pintura do outro olho.

2. Teru Bozu

Teru bozu

As crianças japonesas estão acostumadas a conhecer e fazer o teru bozu desde cedo. Teru significa pôr do sol, enquanto bozu padre, mestre, mentor.

É pendurado de noite para que um dia de sol bonito e caloroso venha no dia seguinte. Para os turistas é um bom auspício para que os dias da viagem sejam de bom tempo.

3. Omikuji

omikuji

Ir a pagodas para rezar é um hábito na vida de muitos japoneses. Culturalmente, as crianças e adultos acabam indo a um templo ou santuário para comemorar passagens importantes de suas vidas.

O omikuji é conhecido por trazer sorte e é chamado de loteria sagrada, pois escolhe-se aleatoriamente a sorte em uma caixa.

Se a sorte for boa leva-se para casa, caso contrário deve-se pendurar o papel em uma árvore de pinheiro nos jardins do local.

4. Ema wood

Ema wood

As plaquinhas de madeira contém os desejos e prometem levá-los aos deuses para que se tornem realidade. Nos templos do Japão existe um lugar especial para pendurar os desejos.

5. Maneki Neko

maneki neko

O maneki neko está espalhado por quase todo o Japão. Não será difícil encontrar um e trazer sorte para a família, negócios e dinheiro.

Se o gato tiver a pata direita levantada vai atrair dinheiro, apenas o esquerdo é para atrair clientes para um comércio e as duas irão proteger a família a prosperar.

Gostou do artigo? Compartilhe e assine a nossa newsletter.

Share via