Filhas de Meiji: conheça a história das crianças japonesas que marcaram seu nome na história

No período Meiji crianças japonesas foram mandadas para o ocidente a pedido direto da Imperatriz do Japão. Elas são conhecidas como filhas de Meiji.

Período Meiji

O período Meiji foi um momento histórico do Japão onde o shogunato caiu e o país abriu seus portos para o comércio e delegações estrangeiras.

Apesar disso, essa abertura não foi realizada de bom grado. As grande potências ocidentais obrigaram o país sob influência por meio da força militar e bloqueios econômicos.

Depois de anos de luta das forças imperiais contra os senhores feudais japoneses, os shoguns, finalmente foram derrotados e o país estava unido na figura do Imperador.

Além disso, foi durante esse período que o Japão experienciou um grande boom econômico, industrial, cultural e social.

Porém a sociedade japonesa e o país como um todo, ainda eram alvos de muitos preconceitos dos países ocidentais.

Isso permitia que o Japão não estivesse em pé de igualdade com as outras potências ocidentais, como Espanha, Inglaterra, França e EUA.

Para alterar essa realidade era necessário enviar pessoas de confiança para as grandes potências para poder nivelar todos os aspectos.

A missão – 1871

Imperatriz Shoken

Enquanto o Imperador Meiji se preocupava com as questões internas e acordos internacionais, a Imperatriz Shoken também tinha planos grandiosos para a nação japonesa.

Filhas de Meiji

Por isso, um grupo seleto de meninas filhas de samurais foi escolhido para atravessar o mundo. Elas deveriam se estabelecer nos EUA e na Europa para estudar o idioma, cultura e costumes.

Além disso receberam ordem para renegociar tratados firmados em pé de igualdade, pesquisar sistemas industriais, políticos, militares e educacionais.

Originalmente o grupo era formado por cinco garotas, a mais nova 6, uma de 10, outra de 11 e as mais velhas tinham 14 anos de idade.

10 anos longe de casa

A missão dada pela Imperatriz japonesa era passar 10 anos em outros países absorvendo o máximo que pudessem e depois deveriam retornar ao Japão.

Porém as mais velhas não conseguiram se adaptar bem a cultura ocidental e voltaram poucos meses depois.

Mulheres influentes

Já as outras três meninas tiveram grande êxito e se tornaram as mulheres mais influentes da história moderna do Japão.

As meninas que conseguiram passar o período solicitado nos países ocidentais se chamavam Umeko Tsuda (6 anos), Shige Nagai (10 anos) e Sutematsu Yamakawa (11 anos).

Leia também

Mulheres inspiradoras que marcaram história no Japão

Jingū kōgō: a lendária Imperatriz guerreira do Japão 

Conheça a história das mulheres samurais

Polêmica

Muitas pessoas no Japão não lidaram muito bem com o envio de crianças japonesas para terras estrangeiras. Principalmente por serem apenas crianças.

Os países ocidentais eram considerados como países bárbaros pela sociedade japonesa. Inclusive, na família dessas meninas houve muita relutância.

Umeko Tsuda

Umeko Tsuda, a garota mais jovem era a única do grupo que sabia falar sim e não em inglês, mas eram as únicas palavras que ela sabia até então.

Janice Nimura, autora do livro Daughters of the Samurai: A Journey from East to West and Back (sem tradução em português) narra a trajetória dessas moças.

Porém, o livro foca um pouco mais na história de Umeko Tsuda por algumas razões. Ela criou um sistema de bolsa de estudos nos EUA em 1891 e foi fundadora da Escola de Inglês para Mulheres no Japão em 1900.

O segundo motivo é em relação a adaptação da garota. Quando ela regressou ao Japão, já não era capaz de falar japonês. Além disso, o choque cultural foi muito grande.

Muitos costumes e tradições já não faziam parte de sua vida. Além disso, não conseguia trocar seus vestidos por quimonos ou lembrar de tirar os sapatos antes de entrar em casa.

Então, além da adaptação nos EUA, ela foi forçada a reaprender os costumes do Japão. As outras garotas também sofreram problemas, mas nada tão crítico quanto o caso de Umeko.

O legado de Sutematsu e Shige

As outras garotas também tiveram um vida de sucesso no Japão e foram muito importantes para a história do país.

Sutematsu

Sutematsu Yamakawa foi a primeira universitária do Japão. Além dessa proeza em uma sociedade patriarcal, ela foi responsável por introduzir o conceito de filantropia em seu país.

Shige Nagai

Já Shige Nagai foi uma das primeiras professoras de música do Japão e foi a mulher mais bem paga do país durante seu período de atividade.

O livro Daughters of the Samurai foi resultado de uma longa pesquisa realizada por Janice Nimura. Além disso, resgata os nomes e histórias de grandes mulheres japonesas.

Compartilhe! Clique aqui e receba nosso conteúdo exclusivo pelo Facebook Messenger.

Fontes: Relações Públicas do Governo Japonês.

Comentários

Share via