Empresas no Japão pagam salários milionários a profissionais de TI

As empresas no Japão estão investindo em profissionais de TI considerados altamente qualificados com salários pomposos.

O mercado está bem aquecido e a competição é acirrada entre as empresas. Afinal, o segmento apenas cresce no Japão e esses profissionais são muito valorizados.

Inteligência Artificial

Segundo reportagem do Yomiuri Shimbun, a empresa Fujitsu Ltd., anunciou uma nova média de salário em torno de 30 milhões (R$ 1.170.600,00*) a 40 milhões de ienes (R$ 1.578.800,00*) anuais a partir do término do ano fiscal de 2019.

O CEO da Fujitsu, Takahito Tokita afirmou que eles procuram profissionais com experiência no digital em áreas de inteligência artificial e segurança da informação.

Notas de 100.000 ienes

 

Além disso, eles abrirão mais vagas durante todo o ano e não apenas uma vez ao ano (agosto), como acontecia até o momento.

A empresa telecom NTT Docomo Inc. começou em abril um sistema que permite pagamentos anuais de 30 milhões de ienes.

A Sony Corp aumentou os salários para novos funcionários altamente qualificados em 20%. A gigante Line introduziu uma nova seção para profissionais de alto nível de conhecimento com salário de 7 milhões de ienes (R$ 274.140,00*).

Para se ter ideia, no Vale do Silício, o salário anual desse tipo de profissional gira em torno de 100 milhões de ienes (R$ 3.902.000,00*).

Enquanto a empresa chinesa Huawei Technologies Co. paga mais de 2 milhões yuan (30 milhões de ienes*) anuais.

50.000 profissionais

Segundo informações oficiais do governo, a indústria espera a contratação de 50.000 profissionais para a indústria de TI até 2020.

Leia também

Salários no Japão: dados e curiosidades

Saiba quais são as piores furadas disfarçadas de “oportunidades” para estrangeiros no Japão

O que pensam as gerações da sociedade japonesa sobre os trabalhadores estrangeiros no Japão?

Profissional altamente qualificado

O termo profissional altamente qualificado apareceu bastante nos últimos anos no Japão. Inclusive, com um visa especial para morar no país.

Comum desde 2012, ele se enquadra em três categorias. Profissionais que atuam na área de pesquisa acadêmica avançada, atividades especializadas técnicas avançadas e atividades avançadas de gerenciamento de negócios.

Por exemplo, acadêmicos, engenheiros, administradores com conhecimentos específicos e habilidades excepcionais, profissionais de TI, etc.

Geralmente, esse tipo de profissional deve ter entre 7 a 10 anos de experiência, doutorado ou mestrado, ter mais de 29 anos, conhecimentos em japonês do nível básico (N1), ser formado em instituição de prestígio no meio acadêmico, entre outros.

Segundo dados do Ministério do Trabalho, 29.1% dos profissionais altamente qualificados são da China.

18.8% do Vietnã, 11.5% das Filipinas, 9.2% do Brasil e 5.4% do Nepal do total de 1.278.670 até o final de outubro de 2018.

Esse número não contabiliza outros estrangeiros, mas apenas os que conseguiram o visa especial e tem talentos específicos. Confira o relatório completo em japonês <Site do Ministério da Saúde, Trabalho e bem-estar oficial>

Compartilhe! Clique aqui e receba nosso conteúdo exclusivo pelo Facebook Messenger.

*Valores convertidos no dia 26/08/2019 e podem sofrer alterações.

Comentários

Share via