Jido yogo shisetsu: a triste realidade da adoção no Japão

Jido yogo shisetsu: a triste realidade da adoção no Japão

Você sabia que o Japão é o país desenvolvido com a menor taxa de adoção? Apesar da baixa natalidade, há muitas crianças nos jido yogo shisetsu (orfanatos do estado).

Adoção no Japão

É um contraste assombroso, das aproximadamente 80 mil adoções anuais no Japão, 98% são de adultos do sexo masculino para manterem os negócios ou o nome da família.

Adoção no Japão

Há uma forte resistência dos japoneses em criar uma criança sem laços sanguíneos. Em 2014, por exemplo, apenas 513 crianças foram adotadas no país.

A chance de uma criança ou jovem ser adotada no Japão é de apenas 12%. Em 2015 o número de órfãos no Japão era de cerca de 90 mil. Apenas em Tóquio eram 29.979 jovens de 0 a 18 anos.

Falta de orfanatos

O país não só disponibiliza poucos orfanatos, como sofre com a falta de funcionários e voluntários para atender a alta demanda. Além disso o governo não disponibiliza muito recurso para os jido yogo shisetsu.

Jovens abandonados

O problema dos órfãos japoneses parece não ter fim. Grande parte dos jovens que vivem nos orfanatos têm os pais vivos e legalmente eles continuam responsáveis por seus filhos.

Promessas

Eles prometem buscá-los nas instituições do estado, mas nunca cumprem suas promessas. Isso contribui para dificultar o processo de adoção no país.

Abusos

Muitos pais levam seus filhos aos jido yogo shisetsu por incapacidade financeira ou mental. Outros jovens são levados vítimas de maus tratos. De acordo com a Kanae Doi da Human Rights Watch, metade dos jovens foram abusados.

O governo japonês entende que as crianças são assistidas pelos pais, então, o repasse de verba pública para os orfanatos é muito pequena em comparação com as casas de repouso.

Takae Moriyama
Takae Moriyama

Os poucos orfanatos do país são desconhecidos até mesmo pela população japonesa. Takae Moriyama, fundadora da 3keys de Tóquio morou em frente a um jido yogo shisetsu por 20 anos sem saber de sua existência.

“Atualmente, o orçamento do governo é principalmente destinado aos idosos, porque os burocratas do Japão, geralmente, acreditam que as crianças são cuidadas pelos pais.”

“No entanto se você ver apenas as estatísticas do ano passado, havia 90 mil crianças internadas em todo o Japão. Isso significa que essas 90 mil crianças por ano não podem confiar no apoio da família e com a assistência limitada do governo, o seu bem-estar torna-se uma grande preocupação “, diz Moriyama.

Leia também

Falta de interesse

Os desafios para funcionários e voluntários são imensos. A maioria dos jovens frequentam escolas públicas, mas não tem interesse pela educação, pois não acreditam que ela fará diferença em suas vidas.

Mesmo frequentando a escola, o nível educacional dos órfãos é baixíssimo se comparado com outros estudantes. A falta de apoio familiar e governamental desestimulam os jovens.

Falta de espaço

Dormitório Jido yogo shisetsu

Há muitos problemas de bullying dentro dos jido yogo shisetsu e não há privacidade para essas crianças, são cerca de 30 a 100 por orfanato.

A superpopulação e a falta de pessoal faz dos jido yogo shisetsu algo mais parecido com um abrigo do que uma instituição voltada para crianças e jovens desamparados.

Hoje, são cerca de 100 mil crianças e adolescentes, que provavelmente, os pais não buscarão e que viverão até os 18 anos dentro dos orfanatos.

Sem possibilidades ou recursos para manter aqueles com mais de 18 anos, o destino desses jovens após o jido yogo shisetsu será viver em abrigos e sem empregos.

Vocês conheciam essa triste realidade no Japão?

Share via