Princesa Ayako se casa com plebeu por amor no Japão

A terceria filha da princesa Isako e do falecido príncipe Noruhito, a princesa Ayako se casou com o plebeu Kei Moriya no dia 28 de outubro no Japão.

A princesa de Takamado Ayako Moriya tem 28 anos e nasceu no dia 15 de setembro de 1990. Seu pai era primo do Heika Akihito, que faleceu em uma partida de squash no consulado canadense em 2002.

Foi a primeira a nascer na atual era Heisei. Ela se formou em tradicional escola Gakushuin e frequentou a Josai International University, onde se graduou em bem-estar social. Kei Moriya, 32 anos, é um executivo de uma das maiores transportadoras do Japão.

Casamento real

casamento princesa Ayako

A cerimônia fechada aconteceu no santuário Meiji-Jingu em Tóquio com cerca de 30 convidados. O casamento aconteceu segundo a religião shinto, com troca de alianças e saquê.

Ela usou um tradicional penteado hairo da era Heian (osuberakashi), um uchiki kimono com mais de 25 camadas e uma hakama roxo. Kei Moriya carregava um lenço de seda que pertenceu ao pai da princesa Ayako.

Segundo reportagem do CNN, cerca de 1,000 pessoas compareceram perto do templo para felicitá-los. Apesar de perder seu status de realeza, a princesa declarou suporte incondicional a família real. Além disso, disse estar mais do que feliz e se sentindo abençoada.

Em coletiva após o casamento, Kei afirmou que estava ansioso para construir sua família com Ayako regado a muita felicidade.

Apesar de perder seu status real, a princesa Ayako receberá anualmente U$ 950,000 do governo japonês para manter seu estilo de vida.

No dia 01 de novembro, o casal irá festejar com membros da realeza e do primeiro-ministro Shinzo Abe em um banquete no hotel New Otani em Tóquio.

Leia também

Filha de Naruhito, Princesa Aiko fez 16 anos e deve intensificar trabalho na realeza

Princesa japonesa se casará com plebeu no Japão

Celebrando a união: casamento no Japão

Meiji Jingu

O Santuário Meiji é um templo dedicado aos espíritos do Imperador Meiji e Imperatriz Shoken. A construção foi concluída em 1920, oito anos após a morte do Imperador e seis anos após a morte da Imperatriz.

O Imperador Meiji foi o responsável pela transição do Japão feudal para a era moderna. Além disso, abriu o comércio com países ocidentais e reunificou o país.

Embora sua localização seja na capital japonesa, uma das maiores megalópoles do mundo, o ambiente caótico da cidade desaparece nas proximidades do santuário.

Durante sua construção, mais de 100 mil árvores de todas as regiões do Japão foram plantadas ao redor do Santuário, o que explica tamanha calma e silêncio.

O Meiji Jingu é o templo shintô mais popular do Japão e atrai aproximadamente 3 milhões de visitantes por ano.

Durante a segunda guerra mundial o santuário foi bombardeado pelos EUA, porém foi rapidamente reconstruído após a rendição japonesa.

Gostou do artigo? Inscreva-se em nossa Newsletter.

Fontes: Daily Mail, BBC, The Telegraph, CNN, Asahi Shimbun.

Comentários

Share via