Kokuhaku explica o relacionamento afetivo no Japão

Começar um relacionamento afetivo no Japão exige uma compreensão cultural mais ampla das regras e etiquetas da sociedade nipônica. Uma das mais complicadas é o kokuhaku.

Desde o flerte até a formação de um casal no Japão, tudo é completamente diferente de todos os padrões socialmente aceitos na cultura ocidental.

O flerte dos japoneses, por exemplo, é muito subjetivo e velado. Estrangeiros desavisados provavelmente não serão bem sucedidos.

Até mesmo a interação entre duas pessoas apaixonadas no Japão é diferente. No primeiro encontro, por exemplo, contatos físicos não são comuns ou desejáveis.

Tudo bem, até aqui não há nenhuma novidade. Então, descubra o que o kokuhaku tem a ver com tudo isso.

Kokuhaku: um momento decisivo

Você provavelmente já viu em algum filme, anime ou séries de emissoras japonesas onde alguém na relação entrega uma carta para a outra pessoa.

Esse ato é chamado de kokuhaku (confissão), além disso é um fenômeno que acontece dentro e fora das televisões.

Embora pareça antiquado, esse ato de confessar ou declarar seus sentimentos é praticamente o mesmo que pedir para começar a sair exclusivamente com alguém.

Quem recebe um kokuhaku geralmente encontrará uma mensagem que inclua as palavras “suki” ou, futuramente, “dai suki”.

O suki costuma ser o primeiro tipo de declaração a receber, pode ser compreendido como gostar e amar, o que pode gerar confusão na hora de interpretar.

Já o dai suki pode ser traduzido como eu te amo, um estágio muito mais avançado e maduro de um relacionamento, ou até mesmo gostar muito.

Mesmo que os japoneses sejam vistos como tímidos por muitos estrangeiros, muitos são extremamente extrovertidos e comunicativos.

É preciso sentir, perceber e escutar o pretendente ou a pretendente para conseguir interpretar corretamente o que está sendo confessado.

Quem dá o primeiro passo

Relacionamentos sempre são complicados, não é estranho que o livro A Arte da Guerra, do gênio militar Sun Tzu, foi adaptado para diferentes terrenos, como negócios, relacionamentos e amor.

Ainda que existam muitas diferenças na forma como os ocidentais e os japoneses compreendem um relacionamento, certo aspectos são particulares da espécie humana.

Leia também

Casal japonês ensina regras para ser mais feliz no relacionamento

Saiba o que as mulheres japonesas pensam sobre relacionamentos com homens estrangeiros

Por qual motivo os dentes Yaeba são tão populares no Japão?

Hoje em dia, as cartas podem não fazer parte do rito formal de se declarar, porém, realizar o kokuhaku é fundamental para qualquer relacionamento no Japão.

Quando alguém se declara, é praticamente impossível se manter indiferente e exige uma resposta de quem ouve.

Além disso, começa uma relação de transparência, ainda que pequena e frágil, mas um alicerce fundamental para qualquer relacionamento duradouro.

Gostou do artigo? Não deixe de se inscrever em nossa newsletter.

Comentários

Share via