Confira algumas informações sobre deportação no Japão

Apesar de muitas pessoas não considerarem essa possibilidade, ser deportado do Japão é algo que pode acontecer com qualquer um.

E os motivos podem ser desde os mais graves, aos mais ínfimos. Além disso, pode ser uma experiência consideravelmente assustadora.

Porém é uma possibilidade real que pode afetar os estrangeiros no país. Por isso, confira alguns fatos sobre esse processo no Japão.

Quais são as possibilidades de conseguir um novo visto?

Deportação no Japão - visto

Obter um novo visto para o Japão dependerá muito do motivo que levou a deportação. Em casos de uso de drogas ou algum crime, pode ser consideravelmente mais difícil (não impossível).

Nesse caso o candidato é proibido de entrar no país por um período de até 10 anos. Porém a penalidade é relativa a gravidade da infração cometida pelo estrangeiro.

Em casos mais simples, como o vencimento do visto em alguns dias ou um mês, a penalidade é bem menor. A proibição de voltar ao Japão é de um ano.

Como é o procedimento legal?

Imigração Japão

No Japão os oficiais possuem certas dificuldades para explicar o que está acontecendo em outro idioma senão o japonês.

Por isso é muito importante ter pessoas fluentes em japonês que possam ajudar durante esses processos legais.

Basicamente a pessoa é levada até o Departamento Regional de Imigração onde será entrevistada e interrogada.

Uma vez dentro do Departamento de Imigração, o estrangeiro não pode sair até que os oficiais permitam. Ou seja, até que o caso tenha um solução.

Quais são as opções oferecidas pelo governo japonês?

Normalmente existem duas opções oferecidas pelo estado japonês para estrangeiros em situação de deportação.

A primeira é deixar o país dentro de 20 dias. A segunda é apelar em audiência no Ministério da Justiça.

Vantagens e desvantagens de deixar o país em 20 dias

Aeroporto japonês

A opção de deixar o país em 20 dias normalmente é a escolha mais sensata. Porém não quer dizer que ela seja fácil, especialmente se o estrangeiro pretende voltar ao Japão.

Esse prazo de 20 dias é uma espécie de moratória para que a pessoa consiga organizar suas questões. Por exemplo, contratos imobiliários, contas bancárias e demais serviços contratados.

A desvantagem é ter que se livrar de toda a mobília da residência. Isto significa vender tudo muito rápido ou pagar uma quantia considerável para descartar tudo no período.

O estrangeiro também deverá se apresentar no prazo de 10 dias no Departamento de Imigração.

Ela já deverá ter as passagens para seu país de origem (ou qualquer outro país) em mãos dentro da data fixada pelas autoridades.

Além disso, conseguir realizar tudo em um espaço tão curto de tempo é um grande desafio. No demais, o valor gasto nesse mesmo espaço de tempo é bem alto.

Vantagens e desvantagens de apelar para o Ministério da Justiça

Se o estrangeiro/a não for casado/a com um cidadão japonês, não estiver grávida ou impossibitado de voltar ao país de origem por causa de violência ou perseguição, as vantagens são praticamente inexistentes.

Quem recorre ao Ministério da Justiça do Japão pode ter que esperar o resultado por um período de três a seis meses.

Se isso parece uma vantagem, na verdade não é, pois o passaporte e documentos são apreendidos até o final do processo.

Portanto, isso significa que a pessoa não é nem estrangeira ou residente. Além disso, é proibida de trabalhar ou estudar em todo território nacional. Em caso de violação dessas regras as consequências são catastróficas.

É importante ressaltar que sem documentos, o tratamento oferecido pelos agentes de segurança pública do Japão são diferenciados dos estrangeiros em situação regular.

Normalmente a justiça japonesa tende a negar a revogação ao solicitante. Além da deportação, a pessoa é proibida de voltar ao Japão por um período de 5 anos.

Como e qual visto solicitar depois de ser deportado?

Após o período da punição expirar, a pessoa pode solicitar um visto pelas mesmas vias que conseguiu o primeiro.

Mas novamente, a facilidade em obter um visto ou não dependerá do motivo que levou o indivíduo a ser deportado do Japão.

Além disso, também é importante lembrar que o país é extremamente seletivo com a entrada de estrangeiros no país.

Normalmente pessoas que foram deportadas por questões mais simples, tendem a voltar ao Japão já com um vínculo de emprego com empresas anfitriãs. Isso facilita consideravelmente o processo.

Mas tudo dependerá quais são as condições que o candidato terá para ir ao Japão. Afinal, existem diversos tipos de vistos disponíveis.

Leia também

O que pensam as gerações da sociedade japonesa sobre os trabalhadores estrangeiros no Japão

Saiba quais são as piores furadas disfarçadas de “oportunidades para estrangeiros no Japão

Japão estuda permitir que trainees estrangeiros trabalhem e morem mais tempo

Considerações finais

Existe um outro problema que deve ser considerado por quem foi deportado e estará de volta e esse problema não envolve questões legais.

Ao desembarcar do avião em um aeroporto internacional japonês, inevitavelmente, o estrangeiro será submetido a um interrogatório, além do famoso chá de cadeira.

Nessa situação quem determinará se a pessoa entrará ou não no Japão é o agente de imigração que estiver trabalhando.

Infelizmente, nessa última etapa, se o oficial acordou de mau humor ou não foi com a cara do estrangeiro, ele pode ser impedido de entrar no país (mesmo com toda a documentação em ordem). Portanto, o fator humano também será crucial nesse processo.

Compartilhe! Clique aqui e receba nosso conteúdo exclusivo pelo Facebook Messenger.

Comentários

Share via