Inteligência artificial no Japão: país começa a investir em especialização

O Japão está de olho na nova era que está por vir em que a inteligência artificial (AI) estará mais presente no dia a dia e como parte fundamental do curriculum para o futuro do mercado de trabalho.

A nova era chamada de quarta revolução industrial já está a caminho. Com o lançamento da tecnologia 5G nas Olimpíadas Tokyo 2020 e um supercomputador capaz de processar todos os dados, o país se prepara.

Japão e a inteligência artificial

AI no Japão

Em busca do aperfeiçoamento, o Japão irá aumentar o investimento em universidades e escolas técnicas em 250,000 especialistas por ano. Isso de acordo com o planejamejnto divulgado pelo governo no dia 31 de março de 2019.

Estudantes irão começar um curso básico de AI. Afinal, a Internet das Coisas já uma realidade em que a Big Data estará ligada aos processos produtivos.

Big Data Japão

Portanto, ter conhecimentos em inteligência artificial será fundamental no mercado de trabalho japonês na busca de novas oportunidades de trabalho e criação de novos produtos nos próximos anos.

Mercado de trabalho Japão

Além disso, segundo  o professor Osamu Sudoh da universidade de Tokyo, esse conhecimento será necessário em outras áreas também.

Será importante para o Japão se nivelar em tecnologia e estará apto ao mercado competitivo dos próximos anos. Atualmente, apenas 2,800 estudantes saem com especialização master em AI, de acordo com o governo japonês.

Esse número aumentará em 300,000 até o final de 2020, segundo previsões de acordo com o planejamento. Com essa meta, os estudantes já estarão preparados para lidar com tecnologia avançada ao se graduarem e estarão prontos para o mercado de trabalho.

Investimentos

Além disso, a universidade de Shiga já estabeleceu o primeiro departamento de ciência de dados e começará a oferecer a graduação master no mês de abril.

A empresa Sompo Holdings já oferece treinamentos em AI desde 2017 também. O curso com duração de três meses é realizado duas vezes por ano e já graduou 100 pessoas e algumas foram recrutadas para trabalhar.

O mercado de ciência de dados já movimenta 12 milhões de ienes por ano no Japão e aumentará nos próximos anos com demanda para professores e trabalhadores com conhecimento em AI.

Leia também

Tecnologia do Japão: país quer ser o primeiro a ter carros voadores

Ocean Spiral: já pensou em viver em uma cidade submersa?

Primeira konbini automatizada chega ao Japão 

O futuro fantástico do Japão (tecnologias revolucionárias)

Computador mais rápido do mundo

O Japão já tem um supercomputador com velocidade de 130 petaflops. Além disso, é capaz de fazer 130 quadrilhões de cálculos por segundo.

O governo japonês investiu U$ 173 mihões no projeto e será um milhão vezes mais rápido que o doméstico atual. Será importante nessa nova era da inteligência artificial.

Compartilhe! Clique aqui e receba nosso conteúdo exclusivo pelo Facebook Messenger.

Comentários

Share via