Empresa pioneira oferece seguro bullying no Japão

O bullying no Japão é um problema muito sério, pois a taxa de suicídios é alta. Em 2011, um estudante da cidade de Otsu (13 anos) pulou da janela, pois sofria assédio de seus colegas de classe.

O caso repercutiu internacionalmente e causou mudanças. Os pais processaram a escola, os colegas e a cidade.

Descobriu-se uma rotina maldosa e humilhante que ocorria dentro da escola. Dois estudantes foram condenados a pagar uma compensação milionária (37.5 milhões de ienes) e uma lei anti-bullying foi promulgada em 2013.

Bullying no Japão

Crianças judiando de outra

Segundo dados do ministério da educação, em 2017 foram confirmados 414.000 casos de bullying no Japão. É um número alto.

470 casos foram considerados graves e com risco a vida das vítimas. Na busca por uma solução, o país investe em tecnologia.

A cidade de Otsu ainda guarda lembranças negativas do caso do jovem estudante em 2011. Por isso, eles usarão inteligência artificial para evitar novos casos.

Leia também

Cabelos escuros nas escolas japonesas: petição pede mudança 

Suicídio no Japão entre jovens é o mais alto em três décadas

Escola no Japão: pesquisa revela o que desmotiva estudantes 

Além disso, a empresa Yell lançou um seguro bullying. Esse serviço é uma novidade no país e repercutiu.

Com a contratação do seguro, advogados serão disponibilizados para tomar as medidas legais e reunir provas. O seguro ainda cobre a parte médica se ocorrer agressões físicas.

Segundo dados do site oficial, os pais precisam desembolsar 2.640 ienes todos os meses para ter cobertura.

Afinal, contratar um advogado é muito caro no Japão, por isso, muitos acabam deixando a ideia de um processo de lado e muitos casos de bullying acabam impunes.

Compartilhe! Clique aqui e receba nosso conteúdo exclusivo pelo Facebook Messenger.

Comentários

Share via