Seiza: tradição da maneira de sentar formal dos japoneses

Seiza é uma forma de sentar e faz parte da etiqueta da cultura japonesa. É a forma mais correta e obrigatória em cerimônias de chá e rituais.

Ilustração da cerimônia do chá

Um padrão usado há séculos no Japão e tem como interpretação cortesia e a arte de se desculpar representando juntas a humildade.

Acaba sendo o pesadelo de muitos estrangeiros por ser uma posição dolorosa se não estiver acostumado.

Jogador de futebol no Japão

A técnica precisa de prática e se tornou o jeito formal e padrão para sentar no Japão. Ficou popular entre cidadãos comuns no período Edo.

Até então, o seiza era usado para sentar na presença de shoguns e autoridades importantes. Na cerimônia do chá desde o período Muromachi também era um elemento obrigatório.

As pernas devem ficar dobradas e a coluna deve ficar reta. Apesar do seiza ser padrão, muitos shoguns preferiam se sentar da forma Anza (de pernas levemente cruzadas). Seria mais rápido para acessar a espada e reagir.

Idoso sentado de pernas cruzadas
Idoso sentado Agura

Ainda existem muitos outros estilos de sentar na cultura japonesa. Agura (pernas cruzadas), Rakuza (pernas cruzadas e solas do pé juntas), yoko-zuwari (pernas apoiadas do mesmo lado), entre muitas outras.

Apoio Seiza

Para quem tem difculdade, atualmente, existem apoios para facilitar e treinar o jeito seiza. Os japoneses usam e tem vários modelos portáteis.

Leia também

Seppuku: o ritual da morte do bushi no Japão

Convidado para uma casa japonesa?

16 regras de etiqueta que você deve conhecer antes de ir para o Japão

Mokuso

A meditação mokuso é realizada na posição seiza e foi amplamente utilizada por grandes bushi do Japão.

O praticante deve inspirar imaginando o fluxo de ar indo do nariz, contornando o crânio e descendo até a base da coluna vertebral.

Após o ar chegar a base da espinha, a pessoa deve imaginar o ar se tornando uma espécie de redemoinho.

Prender a respiração por alguns instantes (até não se tornar um incômodo) e expirar o ar imaginando ele saindo de dentro do redemoinho para o estômago, garganta e boca.

Cada processo de inspirar e expirar dura entre 10 e 15 segundos. Conforme a prática, o exercício mental se torna mais ágil.

Com o tempo, o praticante consegue ter uma fluxo de pensamentos menos caóticos e mais claros favorecendo a capacidade de abstração, paciência, foco e calma.

A posição seiza é essencial nesse tipo de meditação e além de oferecer mais foco, faz bem para a coluna para quem tem dores lombares.

Compartilhe! Clique aqui e receba nosso conteúdo exclusivo pelo Facebook Messenger.

Comentários

Share via